Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Stone Art

Coisas soltas da vida que povoam o meu quotidiano. Sem amarguras nem fatalismos, com aceitação, simplicidade, ironia e alegria. Sejam bem vindos a esta minha casa.

Para ti Cleo

Foto de Arek Kotlewski

Ofereceram-me uma rosa
Numa viagem nocturna
Arrepiei-me sem querer
Na contra luz do tempo
De corpo sem alma
Louca e esquecida
De pés descalços…
Uma página ao calhas… do meu diário
Um fantasma preso na gaiola da vida
Momento insano
Sobre as recordações antigas
Estranho-me
E num impulso
Hoje escrevi-te um poema de amor...
E tu escreveste, sem lágrimas, o ponto final que faltava
Branco no preto
Um grito de silêncio
E, no canto do esquecimento
Fechei-me num castelo feito de ar
Mas eu sei que virás...
Porque nem sempre o silêncio basta.
Num tom azul que me escorre das mãos...
Neste mar me perdi... neste mar vos encontrei!
Embebedo-me de ti
No topo do meu mundo...
Vem...
Entre um poema e um desejo... há um beijo que espera
À tua espera!

No dia de aniversário da Cleo fiz-lhe este poema construído de títulos de textos dela.
Visitem o blog dela em http://impulsosdalma.blogspot.com/ e vejam os lindos textos que ela escreve