Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Stone Art

Coisas soltas da vida que povoam o meu quotidiano. Sem amarguras nem fatalismos, com aceitação, simplicidade, ironia e alegria. Sejam bem vindos a esta minha casa.

Um sítio perfeito para dizer que te amo



Há sítios perfeitos para dizer que te amo,
No alto de Santa Luzia com Viana aos pés
O lima a espreguiçar-se oceano dentro
Colorir-te de esperança nesse verde que és.

Há sítios perfeitos para dizer que te amo
No Alentejo em seara de loiro trigo
Encontrar esse infinito nos teus olhos
Saborear esses cheiros e sabores contigo

Há sítios perfeitos para dizer que te amo
Terra bruta pelo esforço amainada
Devorar as vinhas do teu corpo deleitado
Nas veredas do Douro, de lágrimas sublimada.

Há sítios perfeitos para dizer que te amo
Do alto da Serra de Cerveira, avisto o mar
O infinito que o teu amor abarca
Teus lábios no meu ouvido a sussurrar

Há sítios perfeitos para dizer que te amo
A serra do Soajo, afluente granítico do Geres
Se Deus existisse dir-lhe-ia que tu e essa montanha
São as coisas mais belas que ele fez.

Há sítios perfeitos para dizer que te amo
No labirinto das ravinas erectas sobre o mar
Da alentejana costa onde sempre que o sol se põe
Há mil motivos para te amar

Há sítios perfeitos para dizer que te amo
Entre lençóis suados, e almofadas sufocantes
Gritos de esperanto de amores clandestinos
De traços que compõem as historias de amantes

Eternos que somos…

(José Alberto Valente)