Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Stone Art

Coisas soltas da vida que povoam o meu quotidiano. Sem amarguras nem fatalismos, com aceitação, simplicidade, ironia e alegria. Sejam bem vindos a esta minha casa.

A Escolha do Coração

12365993_H6SFV.jpg

 

A Escolha do Coração de Amanda Brooke
Edição em 2012 pela Quinta Essência
ISBN: 9789897260063
 
Sinopse
Os recém-casados Holly e Tom acabaram de se mudar para uma casa antiga na pitoresca Inglaterra rural. Quando Holly descobre um relógio lunar num jardim cheio de ervas, e o seu estranho mecanismo de cristal, está longe de suspeitar que ele vai mudar a sua vida para sempre. Pois o relógio lunar tem uma maldição. A cada lua cheia, Holly consegue ver o futuro - um futuro que contém Tom a embalar a filha bebé de ambos, Libby, e a chorar a morte de Holly no parto… Holly percebe que o relógio lunar está a oferecer-lhe uma escolha desesperada: dar a Tom o bebé que ele sempre quis e sacrificar a sua própria vida; ou salvar-se e apagar a vida da filha por quem se apaixonou.
 
A minha opinião
Como contei aqui, já tinha pegado neste livro várias vezes para o comprar mas havia sempre outro que se atravessava à frente. Felizmente a Mafalda M. ofereceu-me no Pai Natal Secreto e comecei logo a ler assim que acabei o que tinha entre mãos.
Holly e Tom casaram à pouco tempo e mudam-se para uma casa muito antiga, no campo. Tom é um jornalista que tem de passar grandes temporadas fora, em trabalho. Holly é escultora e trabalha em casa.
Enquanto Tom tem uns pais presentes e que o amam, Holly sofreu imenso com os pais. Ambos a abandonaram em períodos diferentes da vida, acabando por a deixar sem qualquer vocação maternal.
No meio da recuperação da casa de campo, Holly descobre um relógio estranho. Começa por achar que será um relógio solar mas quando, numa noite de lua cheia, monta o mecanismo completo, percebe que este relógio é especial porque mostra o futuro. Nessa primeira visita ao futuro, Holly vê o seu marido com uma bebé - Libby, a filha de ambos, e percebe que morreu no parto. É Jocelyn, uma aldeã e antiga residente na casa que a vai ajudar a perceber o funcionamento do relógio - ou, mais exactamente a maldição que acompanha quem vê o futuro através dele.
Depois de conhecer o futuro, a sua filha, a morte dela própria e a reacção de Tom, Holly tenta, a todo o custo, mudar o seu futuro de modo a que possa enganar o relógio. Mas cedo percebe que o relógio irá sempre exigir a morte de alguém, dela própria ou de alguém muito próximo. O amor que sente pela filha que ainda não nasceu irá sobrepor-se a tudo e a todos, pelo que Holly, apesar das tentativas de Jocelyn - que entretanto se tornou na mãe que Holly nunca teve - de a dissuadir, resolve engravidar, sabendo, de antemão, que irá morrer no parto.
Como mãe senti logo uma grande simpatia pelo dilema da Holly. Afinal ela teria de abdicar da filha para poder viver. E, se de inicio, é fácil decidir, afinal Holly nunca quis ser mãe, teve um péssimo exemplo em casa, a verdade é que, aos poucos, o instinto maternal vai crescendo e acaba por vencer.
Não conhecia a autora mas gostei da forma simples, sem melodramas e sem complicações de maior, como o livro se vai desenvolvendo. E como vamos, aos poucos, pensando que a maldição é injusta. Mas, afinal, a vida é injusta. Ou talvez não. Não fiquei muito surpresa com o final, apesar de ficar surpresa com a forma como se chega a esse final.
Gostei de ler, obrigado Mafalda, mais uma vez!

Have a very Bloggy Christmas

17856940_IRIiZ.jpeg

A Mafalda M, moça simpática e de quem gosto bastante, desafiou-me para responder ao Bloggy Christmas, que consiste em 12 perguntas relacionadas com o Natal. E eu cá estou a responder.

 

 Regras:

  • Agradecer e divulgar o blog que te nomeou.
  • Responder às 12 perguntas.
  • Nomeares 12 bloggers que queres que realizem a TAG.

Então vamos lá às perguntas:

Árvore de natal artificial ou natural? 

Se tivesse um quintal, onde pudesse ter uma árvore plantada todo o ano, seria, seguramente, uma natural. Não tendo essa hipótese, usamos uma artificial. É mais ecológico, é reutilizável e não suja tanto.

Natal com neve ou sol? 

Gostava de, um dia, experimentar passar um Natal com neve. Apesar de ser muito friorenta, acho que um Natal com neve deve ser lindíssimo. Com sol e frio já passei vários. Só não gosto da chuva.

Esperar pela manhã ou abrir os presentes à meia-noite? 

Nem um nem outro. Gosto de abrir os presentes logo depois do jantar. Apesar de agora os presentes serem mais para as crianças da família (de idade, porque se fosse de espirito recebíamos todos), sou sempre a primeira a quer que comece a distribuição para poder ver a alegria na cara dos miúdos. E para poder deixar o chão da sala cheio de papéis…

Qual o filme que adora ver nesta altura?

Música no Coração, Mary Poppins. Apesar de mais velhos que eu, são, seguramente, os filmes de Natal. Apesar de nenhum dos dois se passar no Natal

Cânticos de natal nos shoppings. Sim ou Não? 

Não!!!! Seguramente que não. Coitados dos empregados. Adoro músicas de Natal mas são para ouvir em casa e/ou em família. Não nas superfícies comerciais

Qual o uniforme que usa no dia de natal? Pijama ou veste toda bonita? 

A roupa normal, que me deixa sempre bonita (cof cof cof).

Qual a sua comida de natal favorita? 

Bolo rei, bolo rainha, filhoses, filhoses de grão, aletria, farófias, pirâmide, salame, caras/línguas de bacalhau, peru, arroz de miúdos, canja, etc. Não sei se perceberam, eu gosto de tudo o que se come no Natal.

O que quer receber este natal? 

Normalmente a resposta seria livros. Este ano quero mais. Que o mês de Dezembro acabe depressa e que se resolvam rapidamente os problemas de saúde do maridão que me estão a dar cabo do juízo.

Planeia antecipadamente os presentes ou é à última hora? 

Antecipadamente. Só não compro logo em Agosto ou Setembro porque enfim… cabe-me a mim comprar os presentes das crianças e em meados de Outubro já lhes ando a perguntar o que querem receber no Natal para poder comprar logo. No mês de Dezembro só vou às lojas em caso de emergência muito bem justificada.

Veste de Pai Natal?

De Pai Natal ou de Mãe Natal, se for caso disso. Normalmente cabe-me ajudar o Pai Natal que tem alguns problemas de vista (usa uns óculos escuros lá em casa para que os mais pequininos – de idade, porque de tamanho… – não percebam quem é o Pai Natal).

Qual a sua música favorita do Natal? 

Driving home for Christmas, Chris Rea.

Onde vai passar o Natal este ano? 

O Natal é sempre passado com a família. Os meus pais, os meus tios, os meus primos, as minhas irmãs, os meus cunhados e os meus sobrinhos. Somos muitos. Já fomos mais, falta-nos os meus avós e os pais do meu tio. Mas de certeza que estão contentes por mantermos a tradição.

 

Quanto aos nomeados, vamos ver se consigo nomear alguém que a Mafalda e a Sofia Margarida não tenham indicado:

M*

Alexandra

Cherry

Anacb

Carlota

Ana

Marrocoseodestino

Maria das Palavras

E quem quiser responder, esteja à vontade.