Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Stone Art

Coisas soltas da vida que povoam o meu quotidiano. Sem amarguras nem fatalismos, com aceitação, simplicidade, ironia e alegria. Sejam bem vindos a esta minha casa.

Private: Agência Internacional de Investigação

9789898626097.jpg

Private: Agência Internacional de Investigação de James Patterson

Editado em 2013 pela TopSeller

ISBN: 9789898626097

Sinopse
Jack Morgan, antigo fuzileiro naval e agente da CIA, herdou do seu pai a Private, uma reputada agência internacional de investigação e segurança e, com ela uma carga de trabalhos que pode levá-lo ao ponto de ruptura. Os segredos dos homens e mulheres mais poderosos chegam diariamente a Jack e aos seus agentes, que usam técnicas forenses de ponta para resolver os seus casos.
Como se não lhe bastasse ter de apurar a verdade sobre um escândalo de jogo ilegal na liga de futebol americano e tentar resolver um inquérito criminal sobre as mortes selváticas de 18 raparigas, Jack ainda vai ter de desvendar o tenebroso assassínio da mulher do seu melhor amigo — e sua antiga amante.
Com uma narrativa que se desenvolve a um ritmo alucinante, Private: Agência Internacional de Investigação é o mais excitante e vibrante thriller de James Patterson.
 
A minha opinião
Este livro foi o meu primeiro contacto com um autor que - dizem - é excelente. Não posso dizer que tenha ficado especialmente encantada com a leitura, sinceramente pareceu-me demasiado leve para um "excitante e vibrante thriller". Mas é a minha opinião. Pode ser que, com os outros todos que tenho para ler deste autor, ela acabe por mudar.
Jack Morgan salvou-se, por pouco, da morte em combate. O pai, um criminoso que se encontra preso, semanas antes de morrer, doa-lhe a agência de investigação que vale milhares de dólares e onde a tecnologia ao dispor dos investigadores é a mais moderna.
Ao mesmo tempo, chegam à Private três casos que vão por toda a agência em sentido para os resolver. Primeiro a morte de Shelby. Shelby foi sua amante até que conheceu Andy, o melhor amigo de Jack. E é Andy que a descobre, assassinada, na cama, baleada na testa - uma execução bem ao estilo da máfia. Naturalmente o marido é o principal suspeito da polícia mas Jack move o céu e a terra para provar a sua inocência. Mas primeiro tem de descobrir quem era, afinal Shelby e quem a quereria matar.
Ao mesmo tempo Fred, o tio de Jack, começa a desconfiar que algo não está a correr bem no campeonato de futebol americano. Alguns resultados parecem estranhos e só a Private poderá descobrir o que se passa.
Quando morre mais uma adolescente em circunstâncias pouco claras, a polícia local resolve contactar a Private e os seus investigadores para colaborarem. Afinal morreram 18 adolescentes em menos e dois anos sem que apareçam pistas algumas que possam ajudar a solucionar este caso. Acresce ainda que cada uma das adolescentes morreu de forma diferente e, por isso, não há certezas que seja apenas um assassino. E será que são apenas estas as mortes ou haverá mais?
Enquanto a agência resolve estes casos, os agentes - Jack Morgan incluído - tem os seus próprios assuntos pessoais para resolver. Estarão relacionados?
Como já disse, não é um livro excepcional. É um livro que se lê bem, bem construído, com os detalhes necessários para se tornar interessante. Vamos ver como vão ser os restantes deste autor.
 
Agora vão ali ao lado, ler a opinião da Nathy já que este foi mais um livro lido em conjunto por 50% do clube das pistosgas que lêem.

Depilação - Versão Masculina

depilacao-masculina.jpg

Lá nos idos 2008, no Luso-poemas, coloquei este texto que me tinham enviado por email. Não faço a mais pálida das ideias quem o terá escrito mas é hilariante. Lembrei-me dele porque parece que ontem houve um corrupio de acesso a este texto no site (terá sido o dia internacional da depilação?)

Antes de o lerem, peguem em dois ou três lenços de papel, vão ver que vão dar jeito.

Então cá vai:

 

 

Estava eu assistindo TV numa tarde de domingo, naquele horário em que não se pode inventar nada o que fazer, pois no outro dia é segunda-feira, quando minha esposa deitou ao meu lado e ficou brincando com minhas "partes".

Após alguns minutos ela veio com a seguinte ideia: Por que não depilamos seus ovinhos, assim eu poderia fazer "outras coisas" com eles.

Aquela frase foi igual um sino na minha cabeça.

Por alguns segundos fiquei imaginando o que seriam "outras coisas". Respondi que não, que doeria coisa e tal, mas ela veio com argumentos sobre as novas técnicas de depilação e eu não tive mais como negar. Concordei.

Ela me pediu que ficasse pelado enquanto buscaria os equipamentos necessários para tal feito. Fiquei olhando para TV, porém minha mente estava vagando pelas novas sensações e só acordei quando escutei o beep do microondas.

Ela voltou ao quarto com um pote de cera, uma espátula e alguns pedaços de plástico. Achei meio estranho aqueles equipamentos, mas ela estava com um ar de "dona da situação" que deixaria qualquer médico urologista sentindo-se como residente.

Fiquei tranqüilo e autorizei o restante do processo.

Pediu para que eu ficasse numa posição de quase-frango-assado e liberasse o aceso à zona do agrião.

Pegou meus ovinhos como quem pega duas bolinhas de porcelana e começou a passar cera morna. Achei aquela sensação maravilhosa!!

O Sr. Pinto já estava todo "pimpão" como quem diz: "sou o próximo da fila!!"

Pelo início, fiquei imaginando quais seriam as "outras coisas" que viriam.

Após estarem completamente besuntados de cera, ela embrulhou ambos no plástico com tanto cuidado que eu achei que iria levá-los para viajem.

Fiquei imaginando onde ela teria aprendido essa técnica de prazer: Na Thailândia, na China ou pela Internet mesmo.

Porém, alguns segundos depois ela esticou o saquinho para um lado e deu um puxão repentino.

Todas as novas sensações foram trocadas por um sonoro PUTAQUEOPARIU quase falado letra por letra.

Olhei para o plástico para ver se o couro do meu saco não tinha ficado grudado na cera.

Ela disse que ainda restaram alguns pelinhos, e que precisava passar de novo.

Respondi prontamente: Se depender de mim eles vão ficar aí para a eternidade!!

Segurei o Dr. Esquerdo e o Dr. Direito em minhas respectivas mãos, como quem segura os últimos ovos da mais bela ave amazônica em extinção, e fui para o banheiro.

Sentia o coração bater nos ovos. Abri o chuveiro e foi a primeira vez que eu molho o saco antes de molhar a cabeça. Passei alguns minutos só deixando a água escorrer pelo meu corpo.

Saí do banho, mas nesses momentos de dor qualquer homem vira um bebezinho novo: faz merda atrás de merda.

Peguei meu gel pós barba com camomila "que acalma a pele", enchi as mãos e passei nos ovos.

Foi como se tivesse passado molho de pimenta.

Sentei na privada, peguei a toalha de rosto e fiquei abanando os ovos como quem abana um boxeador no 10° round. Olhei para meu pinto. Ele era tão alegrinho minutos atrás, estava tão pequeno que mais parecia que eu tinha saído de uma piscina 5 graus abaixo de zero.

Nesse momento minha esposa bate na porta do banheiro e perguntou o que estava acontecendo. Aquela voz antes aveludada ficou igual um carrasco mandando eu entregar o presidente da revolução.

Saí do banheiro e voltei para o quarto. Ela estava argumentado que os pelos tinham saído pelas raízes, que demorariam voltar a nascer.

"Pela espessura da pele do meu saco, meus netos irão nascer sem pelos nos ovos", respondi.

Ela pediu para olhar como estavam. Eu falei para olhar com meio metro de distância e sem tocar em nada!!

Vesti a camiseta e fui dormir (somente de camiseta). Naquele momento sexo para mim seria somente para perpetuar a espécie humana.

No outro dia pela manhã fui me arrumar para ir trabalhar. Os ovos estavam mais calmos, porém mais vermelhos que tomates maduros.

Foi estranho sentir o vento bater em lugares nunca antes visitados. Tentei colocar a cueca, mas nada feito. Procurei alguma cueca de veludo e nada. Vesti a calça mais folgada que achei no armário e fui trabalhar sem cueca mesmo.

Entrei na minha seção andando igual um cowboy cagado. Falei bom dia para todos, mas sem olhar nos olhos.

E passei o dia inteiro trabalhando em pé com receio de encostar os tomates maduros em qualquer superfície.

Resultado, certas coisas devem ser feitas somente pelas mulheres. Não adianta tentar misturar os universos masculino e feminino.

Leia mais: http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=45866 © Luso-Poemas

Conheces o teu blog?

18224833_lgq4o.png

Mais uma volta, mais um desafio lançado pela Hipster Amiga e pel'O Informador

Regras:

  • Responder a todas as perguntas.
  • Nomear 5 blogs ou fazeres por ti mesmo e comentar no blog onde viste a Tag.

1. Há quanto tempo tens o teu blog?

Nasceu em Janeiro de 2008

2. Em que dia é que o teu blog foi criado?

13 de Janeiro de 2008.

 3. Sem ires ao painel, quantas visualizações tens, aproximadamente?

Cerca de 48.000 no último ano.

4. Sem ires ao painel, quantos comentários tens, aproximadamente?

Cerca de 5.000.

5. Quantas mensagens publicadas tens?

Cerca de 600

6. Quantos seguidores tens?

Há 102 pessoas que me seguem e que não sabem que eu ando perdida...

7. Quem mais sabe da existência do teu blog?

Não é segredo para ninguém. Sabe a família, os amigos, os não amigos, os colegas, alguns clientes.  

8. Já alguma vez pediste conselhos a outro blogger?

Sobre o quê?

9. Lembras-te perfeitamente de todos os layouts que o teu blog teve?

Aqui no Sapo tive dois ou três layouts. Este último é o que eu mais gosto.

10. Que opinião achas que as pessoas têm do teu blog?

Acho que gostam, pelo menos o feedback é positivo.

 

E as nomeações:

A primeira nomeação é conjunta, é para o clube das Pistosgas (M*, a Sofia Margarida e a Nathy).

E depois nomeio ainda Escrita ao Luar, O Corvo, e Mulher, Filha e Mãe.