Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Stone Art

Coisas soltas da vida que povoam o meu quotidiano. Sem amarguras nem fatalismos, com aceitação, simplicidade, ironia e alegria. Sejam bem vindos a esta minha casa.

E se um desconhecido...

na-cama-com-um-homem-que-acabou-de-conhecer-pela-i

quiser marcar um encontro consigo? O que fazer?

O principal conselho é... Não aparecer. Vamos lá a ver, situações como esta nem sempre acabam tão bem. Neste caso o desconhecido era apenas um amigo que quis mostrar os riscos de se marcar encontros com desconhecidos. Mas podia não ser.

Mesmo com centenas de avisos, mesmo sabendo de casos semelhantes, mesmo com alertas... mulheres, homens e jovens continuam a cair no mesmo disparate e a marcar encontros com desconhecidos.

Creiam-me, muitas vezes os desconhecidos não vos querem oferecer flores. Mesmo que usem Impulse (ainda existe?).

Não quero, com isto, dizer que não se podem conhecer pessoas simpáticas e interessantes pelo Tinder, Facebook, na internet, em suma. Aliás, como o poderia fazer se eu conheci o meu marido pela internet, já lá vão 17 anos?

O que digo é que se tem de ter cuidado. Muito cuidado. 

E esse cuidado começa por não se dar dados pessoais: nome, morada, local de trabalho, etc e tal.

Mas não só.

Antes do encontro tentem falar com a pessoa por vídeo. Ficam com ideia da cara e do aspecto da pessoa. Lembrem-se que qualquer um pode usar a foto que quiser, fotos não são fiáveis na internet. 

Depois, a haver encontro, que seja num local bastante movimentado onde não haja risco de ficarem sozinhos. Não acedam a sair do local onde marcaram o encontro, mesmo que a pessoa com quem se vão encontrar vos convide a ir ao café ao lado.

Contem sobre o encontro a quem confiarem. E dêem os dados que tiverem da pessoa com quem se vão encontrar. Pode parecer idiota mas, se vos acontecer alguma coisa, será importante saber com quem se vão encontrar.

Também é importante que vá alguém convosco. Alguém de confiança. Não precisa de se sentar na mesma mesa nem precisam de dizer que estão acompanhados. Mas precisam de alguém que vos ajude em caso de necessidade, alguém que vos esteja a ver e que possa intervir se for caso disso.

Não aceitem bebidas não enlatadas ou engarrafadas. Se for preciso ir buscar as bebidas, deixem-se de frescuras e vão vocês buscar as vossas próprias bebidas. Bebidas a copo permitem que sejam colocadas drogas. E o mesmo se passa com a comida. Nunca bebam ou comam o que já estiver na mesa quando chegam e não deixem a comida/bebida sozinha com a pessoa com quem se foram encontrar.

Admito que todos estes conselhos possam ser exagerados, aceito que sim, mas sempre ouvi dizer que o seguro morreu de velho. E é à velhice que querem chegar, certo?  

Street Store

insituposters-copy2-1024x512.jpg

Desde sempre que há sem abrigos, indigentes a quem a vida (ou as drogas ou o álcool) roubou tudo e que necessitam de ajuda para sobreviver. Muitos (cada vez mais) são crianças, atiradas para a sobrevivência na rua sem culpa ou hipótese de viver doutra maneira.

Em tempos de crise - moral, financeira e económica - como a que vivemos nos nossos dias, o número de sem abrigo de todas as idades aumenta assustadoramente.

Felizmente também aumentam as iniciativas para ajudar quem precisa e é disso que vos falo hoje. A Street Store é feira de rua onde os sem abrigo ou as famílias mais necessitadas podem ir buscar os bens que foram doados - livros escolares, livros, roupas, brinquedos, calçado... cabe tudo na doação e cabe tudo na feira.

Todos podemos colaborar. Vejam, na página do facebook, se há pontos de recolha na vossa cidade e contactem-nos para entregar o que tenham para doar. Se não houver ponto de recolha... voluntariem-se para fazerem a recolha. Vamos todos ajudar quem precisa.

Vejam neste vídeo como funciona