Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Stone Art

Coisas soltas da vida que povoam o meu quotidiano. Sem amarguras nem fatalismos, com aceitação, simplicidade, ironia e alegria. Sejam bem vindos a esta minha casa.

Novo estudo determina...

Que quem está vivo, morre. A sério, não sabiam? Está cientificamente provado que todos os seres vivos, mais tarde ou mais cedo morrem...

Agora mais a sério, gostava que alguém me explicasse, assim devagarinho e como se eu fosse burra e com quatro anos, o que é que podemos comer.

É que a carne vermelha, processada ou não, pode causar cancro. O elevado consumo de peixe em Portugal pode ser um problema ambiental. As aves podem ter gripe A. As vacas podem estar loucas. A soja é geneticamente modificada, o trigo e o milho também. E isto só dando alguns exemplos…

A continuarmos assim, vivemos do quê? Do ar? Também não, que está poluído. Da água também não pela mesma razão…

Sou só eu que acho que estamos a chegar a extremos disparatados? Esquecem-se que, depois, as pessoas – muitas – são facilmente influenciáveis por estes estudos que não acrescentam nada de novo ao que já se sabia e acabam por dizer disparates como: pela minha saúde nunca mais como carne (e a seguir vão almoçar ao MacDonalds e comem nuggets ou o filete de peixe?)

Moderação. Moderação é a palavra-chave. É óbvio que, se se comer duas toneladas de bacon em dois dias seguidos, o organismo vai sofrer as consequências. É óbvio que comer MacDonalds todos os dias vai ter consequências (e não é só na carteira).

Acho, como em tudo, que cada um decide o que quer – ou não – comer. Agora não venham é dizer que tudo pode matar porque, meus caros, essa é a única coisa que temos garantida. Todos vamos morrer, duma forma ou de outra.