Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Stone Art

Coisas soltas da vida que povoam o meu quotidiano. Sem amarguras nem fatalismos, com aceitação, simplicidade, ironia e alegria. Sejam bem vindos a esta minha casa.

Problema ou solução?

ProblemSolution.jpg

Diariamente somos confrontados com diversas situações que nos dividem em dois tipos de pessoas - as que fazem parte do problema e as que fazem parte da solução.

Quem faz parte do problema vê, em tudo, um novo problema. Fecha-se à solução, agarra-se ao negativismo, complica ainda mais o que pode ser simples.

Partilho convosco alguns exemplos:

O e-fatura e a necessidade de se confirmar algumas facturas. Para quem faz parte do problema é uma grande maçada porque agora somos nós que fazemos tudo, não faz sentido, porque tenho eu de ver as facturas, etc e tal.

O barco demora mais tempo que o normal a fazer a viagem entre Lisboa e Barreiro. Estou aqui fechado, não posso fazer nada, não vou chegar a horas, etc e tal.

Confesso, aqui em nota, que poderia dar mais exemplos mas não consigo. E não consigo porque, por ser Optimista nata, não consigo ir atrás dos problemas mas das soluções. Vejo, no e-fatura, uma excelente oportunidade de ter menos trabalho quando for preencher o modelo 3 do IRS. No atraso do barco, uma excelente oportunidade de ler mais tempo.

Um taxista que é meu amigo tem o filho numa escola especial, longe de casa. Todos os dias o ia levar à escola com o carro de serviço. Ia buscar e levar. A escola tinha transporte mas ele teria de pagar € 200,00 para usufruir desse serviço. Queixou-se disso durante uma das viagens que fizemos juntos. Veja lá, estou a perder serviços por ter de ir levar o miúdo à escola mas não posso pagar os € 200,00, é mais custos.

Fiz-lhe as contas. Se considerarmos que o mês tem 22 dias úteis, vai gastar, por dia, se contratar o transporte da escola, a quantia de € 9,50 (um pouco menos mas acertemos contas). Sendo ele a levar o miúdo à escola, são duas horas de serviço que perde por dia - uma hora de manhã e outra à tarde. Nessas duas horas, quantos serviços perde?

Concluímos que, por dia, não estava a receber a quantia de € 20/€ 25 para poder ir levar o miúdo à escola. Ou seja... para não gastar € 200,00 por mês estava a perder € 440,00.

Mudou de estratégia. Falou com o filho mais velho que já tem carta e disse-lhe que lhe dava os € 200,00 para ele levar o mais novo à escola e assim poder retornar o serviço.

Da vez seguinte que viajamos juntos voltou-se a queixar - veja lá que estou a gastar € 200,00 por mês para que o miúdo vá para a escola. Nem queria acreditar... então sim, gastava o dinheiro mas estava a fazer os serviços e o saldo era positivo. Pois que não, é um problema, porque estou a gastar € 200,00.

Foco no problema. Este - mais que o gasto - é o problema deste meu amigo. Fixou-se no problema, não na solução. É o problema dele e de tantos outros. Focam-se no problema e de tanto pensarem nos problemas não vêem que, muitas vezes, a solução está ali, mesmo à frente dos olhos.

E vocês? fazem parte dos problemas ou das soluções?