Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Stone Art

Coisas soltas da vida que povoam o meu quotidiano. Sem amarguras nem fatalismos, com aceitação, simplicidade, ironia e alegria. Sejam bem vindos a esta minha casa.

Pesadelos

 

 

 

Eu juro que devo estar a ainda a dormir, mas a dormir a sério, assim à coisa duns meses ou coisa que o valha. É que só assim consigo justificar que determinadas coisas estejam a acontecer cá em Portugal. E nem sequer é um sonho bom. É mais um pesadelo, daqueles bem grandes. E se pensam que estou a falar de politiquices ou coisa que o valha, passem já ao lado que nem vou por ai.

Então um miúdo de 16 anos, aluno excelente, mata à mãe à facada porque a mãe lhe exigia boas notas. Não acreditam? Vejam aqui esta notícia. Matou a mãe e depois foi tomar uma banhoca e a seguir uma musiquinha para animar. Faz sentido…

Depois vem o aluno que, com 6 anos, sim 6 anitos, está transformado no terror duma escola. Com apenas 6 anos já atirou com a mobília toda, literalmente, pela janela do 1º andar da escola, mordeu vários alunos (ao ponto de alguns já terem pedido para mudar de escola) a família ainda acha que está tudo bem, tanto que ontem foram todos, em filinha, impedir a escola de funcionar porque o seu benjamim está a ser injustiçado. As notícias sobre este tema podem ser encontradas aqui, aqui e aqui. Será que sou só eu que acha que a mãe e restante família estão em negação e que tem um verdadeiro problema em casa? Quando é que se vai perceber que muitos dos problemas que os miúdos tem nas escolas vem da (falta) de educação em casa? Neste caso estão a tentar-se desculpar com a hiperactividade do miúdo e dizem que, em casa, é um anjo. Se calhar, para a mãe e o padrasto, até se porta bem porque eles não o contrariam e o deixam fazer tudo. O estranho é supostamente o gaiato estar medicado para a hiperactividade e continuar a fazer estas coisas. Ou talvez não seja assim tão estranho atendendo aos exemplos da mãe, padrasto e tios (os que foram fechar a escola hoje de manhã).  A escola agiu bem por aquilo que li. Contrataram uma auxiliar exclusivamente para dar atenção ao miúdo e um professor só para o acompanhar. Tentaram levar a criança a uma avaliação psiquiátrica que não foi autorizada pela mãe nem pelo padrasto (não sei o que pensa ou onde anda o pai). Avisaram várias vezes que o miúdo tinha atitudes violentas. Alguns pais retiraram os filhos daquela escola porque a escola não expulsou o miúdo e as outras crianças tinham medo dele. Só que ao que parece o miúdo é exímio em fugir a qualquer controlo, acima de tudo quando lhe dizem que "não" ou não o deixam fazer o que ele quer. E se a dita auxiliar ou o professor lhe dessem uma valente palmada (que é mais que merecida) caiam-lhes em cima...

Depois temos uma mãezinha que resolve dar um estalo á professora em frente aos alunos. E tal não deve ter sido o dito estalo que a docente ficou sem sentidos e teve de ser encaminhada para o hospital. Coisa linda. Mostra bem o nível de educação da mãe e, acima de tudo, a educação fantástica que está a dar aos filhos.

E isto já para não falar das condenações aos dois GNR’s que, no caso dum deles, foi condenado a três anos de prisão por matar um fugitivo e o outro que foi condenado a nove anos de prisão por matar uma criança que o paizinho levou para um assalto... portanto dois militares que estão a cumprir as funções que, supostamente, lhes estão atribuídas à GNR (e a todos os militares) e que são a defesa da lei é que são condenados. O paizinho da criança, esse ainda recebe uma indemnização por levar a criança para um assalto...

 

Como disse, só posso estar a dormir. E a ter pesadelos. Alguém me belisca para eu acordar deste pesadelo?