Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Stone Art

Coisas soltas da vida que povoam o meu quotidiano. Sem amarguras nem fatalismos, com aceitação, simplicidade, ironia e alegria. Sejam bem vindos a esta minha casa.

A Mensageira - Daniel Silva

Daniel Silva.jpg

A Mensageira de Daniel Silva

Editado em 2011 pela Bertrand

ISBN: 9789722523561

 

Sinopse

Quando um alegado simpatizante da Al-Qaeda é morto em Londres e são encontradas fotografias comprometedoras no seu computador, os serviços secretos israelitas acreditam que a organização terrorista prepara um dos mais arrojados atentados de sempre em pleno coração do Vaticano. Gabriel Allon, restaurador de arte e espião, é obrigado a interromper o seu exílio para avisar o seu velho amigo monsenhor Luigi Donati, secretário pessoal do Papa, de que a vida do Sumo Pontífice corre perigo. O que nem ele nem Donati sabem é que o inimigo já se infiltrou no Vaticano e, apesar de o Papa ser salvo, Allon não consegue evitar a matança de centenas de inocentes… tal como não conseguira evitar que o seu mentor Ari Shamron fosse atirado para uma cama de hospital entre a vida e a morte. As semanas que se seguem levam Gabriel, o Anjo Vingador, de Londres às Caraíbas, da Suíça ao Vaticano, sempre em busca de um dos homens mais perigosos do mundo. Resta-lhe montar uma armadilha e esperar não ser ele a cair nela, e ao mesmo tempo impedir que o isco se torne a presa.

 

A minha opinião

Numa altura em que tanto se fala do Estado Islâmico e do terrorismo a ele associado, calhou ler este livro de Daniel Silva em que o fundamentalismo islâmico é tratado.

Gabriel Allon é o herói nos livros de Daniel Silva. Gabriel é israelita, restaurador de arte e espião ao serviço do governo, contratado por Golda Meir para aniquilar os membros da organização terrorista Setembro Negro em 1972, após o massacre de Munique.

Não é fácil falar deste livro sem desvendar a história. Mas vou tentar: O namorado de Sarah viajava num dos aviões que se despenhou nos ataques de 11 de Setembro, nos Estados Unidos. Esta perda, da qual Sarah nunca recuperou, levam-na a propor-se para colaborar com a CIA. Quando, finalmente, é aceite, convidam-na a infiltrar-se numa organização islamita fundamentalista, sempre com o apoio de Gabriel, que pretende vingar a tentativa de assassinato do papa e do seu amigo e mentor, Ari Shamron. Criado o isco e a armadilha preparada, resta acompanhar o processo e esperar que tudo corra bem.

Não foi o primeiro livro que li de Daniel Silva mas foi o que mais me custou a pegar. Talvez por causa da intensidade dos últimos livros que li, este ficou aquém do esperado.

Ainda assim, Daniel Silva conduz-nos com mestria pelos meandros do terrorismo, das guerras entre espiões, dos conflitos árabes, e dos apoios – às vezes disfarçados – dos estados ocidentais a uma ou outra facção do conflito, permitindo-nos raciocinar de forma diferente daquela a que estamos habituados.

10 comentários

Comentar