Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

StoneArt Portugal

Coisas soltas da vida que povoam o meu quotidiano. Sem amarguras nem fatalismos, com aceitação, simplicidade, ironia e alegria. Eu e os meus livros. Sejam bem vindos a esta minha casa.

StoneArt Portugal

Coisas soltas da vida que povoam o meu quotidiano. Sem amarguras nem fatalismos, com aceitação, simplicidade, ironia e alegria. Eu e os meus livros. Sejam bem vindos a esta minha casa.

ATL do Zoo de Lisboa

topoatl.jpg

Pelo sétimo ano consecutivo, os meus gaiatos foram passar cinco dias no ATL do Jardim Zoológico de Lisboa.

São cinco dias em que, das 9h às 18h, os miúdos (dos 3 aos 16 anos) estão entretidos a aprender, sempre de forma diferente e adaptada à idade. De tal modo que, apesar de já terem ido sete vezes, os meus filhos estão sempre entusiasmados e ansiosos para que a semana do Zoo comece. Parece que outras crianças também, tanto que, desta vez, eram vários os repetentes em cada turno.

Não é uma semana barata. Para além do custo do ATL há que considerar que nós vimos do Barreiro e por isso acrescentam-se os transportes. Até ao ano passado, à tarde, era o marido que os vinha buscar à tarde, de carro, porque eu não me conseguia despachar a tempo de os ir buscar. Agora já vão sozinhos para casa. Também por causa do ATL acabam por ganhar mais autonomia.

É cansativo. Muito. Deixa-os de rastos. Quando iam de carro para casa, adormeciam antes de sairmos do parque de estacionamento mesmo em frente. Agora, quando chegam a casa, tomam banho, jantam e adormecem até ao dia seguinte em que tudo recomeça.

Chegam sujos a casa. Imensamente sujos. Do calor que ali passam, de andarem no meio dos animais, do pó. Mas nada que um bom e revigorante banho não resolva.

É, acima de tudo, compensador. Durante uma semana eles convivem com outras crianças da mesma idade – que não os colegas da escola, e aprendem coisas sobre o zoo, os animais e a sua preservação que o comum dos visitantes não sabe. Todos os anos eles saem do ATL com mais ferramentas e mais atentos aos cuidados a ter com os animais e o ambiente.

Depois, quando vamos ao Zoo em família (sim, eu adoro visitar o Zoo), é vê-los a explicarem‑nos o que aprenderam e a corrigir-nos quando estamos enganados.

Por todas estas razões – e mais algumas que podem encontrar aqui – garanto-vos que é um investimento que vale a pena.

Comentar:

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D