Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Stone Art

Coisas soltas da vida que povoam o meu quotidiano. Sem amarguras nem fatalismos, com aceitação, simplicidade, ironia e alegria. Sejam bem vindos a esta minha casa.

Entretanto em Baga...

10917975_952717838085894_7832103270523586298_o.jpg

 Cartoon by ©pedro brito 2015

 

Morreram 17 pessoas em França, o mundo uniu-se, a uma só voz e exclamou "Je suis Charlie". No domingo, Paris, foi palco de uma gigantesca manifestação de solidariedade para com as vítimas dos atentados e pela liberdade de expressão, que reuniu mais de um milhão de participantes de todos os lados do Globo (alguns ironicamente presentes, como os representantes da Turquia que agora proibiram o jornal Charlie Hebdo de ser publicado, na integra ou a Arábia Saudita que, na sexta feira aplicou, a Raef Badawi o primeiro conjunto das mil chicotadas repartidas por 20 semanas a que foi condenado por ter insultado o Islão).

 

Na semana passada, em Baga, na Nigéria, islamitas radicais do movimento Boko Haram mataram mais de 2000 pessoas para tomarem aquele que era o último bastião de resistência ao avanço deste grupo terrorista. Este mesmo movimento já provocou milhares de mortos desde 2009. Pelo menos 20 pessoas morreram e 18 ficaram feridas quando uma bomba que uma menina de cerca de 10 anos carregava no corpo explodiu num mercado na Nigéria. E o mundo continuou como se nada fosse.

 

Lembram-se de vos ter dito que Eu não sou Charlie Hebdo? É exactamente por isto que eu sou por todos, porque as mortes às mãos dos fanáticos não acontecem só no mundo ocidental, acontecem por toda a parte. Mas só as do mundo ocidental são choradas por todos. As outras são relegadas para terceiro ou quarto plano, para depois da separação do Ronaldo e da Irina ou do Cristiano não ter hesitado em incentivar o filho a cumprimentar Messi...

 

Vale a pena pensar nisto, não acham?

*********

O cartoon que ilustra este post é da autoria do meu primo Pedro Brito. O Pedro é um dos motivos de orgulho da família. É ilustrador, autor de bd, designer e realizador de cinema de animação e está agora a estrear-se (e muito bem, diga-se) no cartoon político.

16 comentários

Comentar