Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Stone Art

Coisas soltas da vida que povoam o meu quotidiano. Sem amarguras nem fatalismos, com aceitação, simplicidade, ironia e alegria. Sejam bem vindos a esta minha casa.

Maze Runner - Provas de Fogo

693. Maze Runner.jpg

Maze Runner - Provas de Fogo de James Dashner (vol 2)

Editado em 2013 pela Editorial Presença

ISBN: 9789722350815
 
Sinopse
Atravessar o Labirinto devia ter sido o fim. Acabar-se-iam os enigmas, as variáveis e a fuga desesperada. Thomas tinha a certeza de que, se conseguissem fugir, ele e os Clareirenses teriam as suas vidas de volta. Mas ninguém sabia realmente para que tipo de vida iriam regressar... Lá fora, ao invés da liberdade, encontram mais uma prova. Agora têm de atravessar a Terra Queimada, uma região desértica e ameaçadora, onde os Crankos, pessoas cobertas de feridas e infectadas por uma misteriosa doença chamada Fulgor, vagueiam pelas cidades devastadas à procura da próxima vitima. À medida que Thomas vai recuperando algumas memórias confusas do passado, não pode deixar de se perguntar: saberá ele de alguma forma o segredo para a liberdade, ou ficará para sempre à mercê da CRUEL?
O segundo volume da série Maze Runner ameaça tornar-se um clássico moderno para os fãs de títulos como Os Jogos da Fome.
 
A minha opinião
Maze Runner – Correr ou Morrer, o primeiro livro deixa imensas questões em aberto. Quem é a CRUEL, que doença vitima a humanidade que tenha levado à criação da Clareira e do Labirinto e porque é que, na Clareira, só havia rapazes (entre imensas outras). Muitas destas questões são respondidas neste segundo volume, que, confesso, me agradou mais que o primeiro.
Thomas e os Clareirenses acordam, depois de salvos da CRUEL, com os Crankos a bater nas janelas dos dormitórios onde ficaram de véspera e todos os que os tinham salvo estão mortos. Teresa, a rapariga que tinha despoletado o fim da Clareira e do Labirinto desapareceu e, no seu lugar, está Aris. É nessa altura que os Thomas e os Clareirenses descobrem que havia outro laboratório como o deles mas só com raparigas e onde Aris foi quem despoletou o fim. É-lhes então explicado que chegaram à Fase 2 dos testes que estão a decorrer e que só terminaram quando chegarem ao Refugio, uma zona a norte do sitio onde estão, mesmo no centro da Terra Queimada para onde foram enviados os Cranckos - pessoas infectadas com o Fulgor, uma misteriosa doença que matou uma boa parte da população do planeta. Cabe-lhes descobrir o caminho e resolver todas as variáveis que lhes serão colocadas ao longo do trajecto sem que saibam, ao certo, quais são. Só sabem que é fundamental lá chegar e que é neles que está depositada a confiança para que descubram a cura para o Fulgor.
De facto este livro é mais interessante que o primeiro. Talvez por esclarecer mais coisas do que dúvidas que deixa. Se bem que, tal como Thomas e os seus amigos, nunca sabemos bem se o que está a acontecer é parte da realidade ou parte da ficção criada pela CRUEL para resolver o enigma da cura da doença. Ficam, naturalmente, questões por esclarecer que se espera (ou eu espero) que se resolvam no terceiro. Por isso... vou ali até à praia queimar os últimos cartuchos e ler o terceiro volume.