Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Stone Art

Coisas soltas da vida que povoam o meu quotidiano. Sem amarguras nem fatalismos, com aceitação, simplicidade, ironia e alegria. Sejam bem vindos a esta minha casa.

No Blog com... M*

mar.png

Hoje é dia de conhecerem melhor um dos ilustres membros do clube das pistosgas. A M* aceitou escrever um pequeno texto sobre ela e responder a algumas perguntas. Vamos a isto.

Quem é a M*? A M* é uma eterna sonhadora, apaixonada por chocolates, doida por vestidos e busca, ainda e apesar dos seus vinte e sete anos, do seu próprio caminho, do que realmente deseja. A M* encontrou nos livros os seus melhores amigos e companheiros, enamorando-se, a cada novo livro, por uma personagem distinta. A M* é uma compulsiva compradora de livros e chocolates, diverte-se a dançar zumba e adora música latina. A M* é uma teimosa introvertida que age sempre por impulso do coração, gosta de quebrar regras e não desiste dos seus ideais. A M* adora viajar de comboio e, quando era menina acreditava que era capaz de mudar o mundo, oferecendo mais de si. A M* gosta de coisas simples, um sorriso e o som do mar, uma flor e do sol de inverno. A M* têm mau feitio e, nos dias de mau feitio ou tempestade, o melhor é não se meterem com ela embora, seja nessa altura que mais precisa de um gesto de carinho. A M* não é grande escritora mas é na escrita que encontra refúgio e paz, é através dela que se consegue exprimir e falar dos sentimentos que dificilmente exprime.

Olá, eu sou a Maria, a M* de Um Mar de Pensamentos.

  1. Deixada pela M.J., lês e agora, sei lá? porquê?

Não me recordo exactamente a que momento comecei a acompanhar o blog da M.J., embora a Magda seja uma das grandes responsáveis por isso :) Gosto da forma directa e sem rodeios como escrever, sobre temas que não lembram a ninguém ou temas mais sensíveis. É dona de um sentido de humor inteligente e descontraído que me obriga a visitar constantemente. Não costumo comentar. Creio que comentei uma ou duas vezes mas, é daqueles blogues que mesmo sem comentar, sigo religiosamente.

 

  1. O teu livro favorito sabemos qual é. E o chocolate?

Chocolate?! Qualquer chocolate é bom! Mas, provavelmente, os chocolates da marca Nestlé ou Milka sejam os meus preferidos. Nunca fui muito apreciadora de chocolate branco (a minha irmã adora!) e muito raramente compro... acho-os extremamente enjoativos. Já fui mais apreciadora de chocolate negro embora, volta e meia, não lhe resista. Prefiro os chocolates de leite simples. Ou com recheio a morango ou bolacha oreo. Chocolate nunca é demais.

 

  1. Onde te vês daqui a 30 anos?

Pois. Ora bela questão...

Sempre fiz planos para, quando atingisse os 26, tivesse uma parte pequena dos meus objectivos realizados. Esse plano incluía um emprego e um possível amor, embora, sobre este seja último seja mais complexo de controlar. Nunca entendi exactamente o porquê mas, sentia-a que aos 26 a minha vida iria mudar. Era como se fosse o meu número da sorte. Porém, atingi os 26 sem concretizar nenhum dos meus planos... e, portanto, desde então, tenho dificuldades em imaginar o meu futuro. É como se tivesse faltado às aulas de como concretizar sonhos ou algo do género... 

Seja como for, daqui a 30 anos terei 57 anos e, portanto, quero imaginar que com essa idade terei encontrado (finalmente) o meu caminho. Ou seja, que aos 57 anos terei concretizado grande parte dos meus sonhos. E, no fundo, julgo que são sonhos simples e comuns a quase todos nós... um emprego estável, uma casa minha, um amor, filhos, viajar (viajar muito), livros, amigos, reconhecimento profissional, fazer a diferença na vida dos demais. São sonhos que, julgo, quase todos nós partilhamos e cujo o meu caminho para os atingir ainda não descobrir.

É uma pergunta de resposta cliché mas, no fundo, nunca sei o que responder a este género de questões...

 

  1. Viajar de comboio. Porquê?

Sempre tive um fascínio por comboios. Não sei explicar o porquê mas, a verdade é que, desde criança que são das máquinas que mais me fascinam. O avião, por exemplo, apesar de ficar sempre numa grande excitação quando viajava nele em criança, nunca exerceu um fascínio e admiração tão elevado como o comboio. Quando era miúda cheguei a dizer que queria ser maquinista. E, na verdade, viajar de comboio não é nada extraordinário, o caminho faz-se previsivelmente. Mas, para mim, uma viagem de comboio é uma espécie de terapia... relaxa e faz-me sonhar. Sempre andei, desde adolescente, com os meus 10 anos e até à presente data, de comboio e é, sem dúvida, o meu meio de transporte preferido. Portanto, como seria de esperar, conhecer a Europa através da janela de um comboio seria, para mim, a mais bela aventura da minha vida.

No fundo, creio que existem coisas, fascínios que por mais que tentemos explicar, simplesmente não são explicáveis... e este é daqueles meus que não sei como explicar.

 

  1. Sem saberes quem é a próxima convidada ou convidado, que pergunta lhe deixas?

Ora ora, bela questão. Qual é a música que te define?

 

  1. O que gostarias de me perguntar a mim?

Ahahahahah, no momento, só me ocorre uma: quando é que vens ao Porto fazer a apresentação do Viagens? :)

Se tudo correr como previsto, ai estarei em Setembro. Só não sei a data certa ainda.

 

9 comentários

Comentar