Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Stone Art

Coisas soltas da vida que povoam o meu quotidiano. Sem amarguras nem fatalismos, com aceitação, simplicidade, ironia e alegria. Sejam bem vindos a esta minha casa.

No blog com... Pedro Neves

sapoblogs.jpg

Hoje, No blog com... e para terminar o ano de 2015, trago-vos o Pedro Neves, a cara mais conhecida da equipa do Sapo Blogs e autor do blog Horizonte Artificial


Fazer um selfie por escrito é bem mais difícil do que com a máquina fotográfica, mas um bom resumo meu passa por dizer que sou um leitor diário de blogs e alguém que encara a escrita diarística como um exercício de auto-distanciamento que nos ajuda, por um lado, a ganhar distanciamento em relação a nós próprios e, por outro, proximidade em relação aos outros. Cada um tem um ponto de vista único e a blogosfera é um excelente ponto de encontro para todos esses diferentes olhares, uma espécie de feira de domingo, onde podemos espreitar, comparar e aprender com os pontos de vista dos outros. Por acreditar nesse poder da comunicação, estudei jornalismo na faculdade, e faço parte, há quase nove anos, da equipa do SAPO Blogs. Há alguns anos, voltei a ler mais offline (umas coisas chamadas livros, que me parece que a Magda tem às montanhas) e hoje em dia posso ser encontrado a frequentar bibliotecas ou a correr junto ao Tejo, duas das minhas coisas preferidas.

1. Deixada pela Mula - Qual é a resolução de ano novo que tens vindo a adiar há vários anos?

Todos os anos costumo escolher alguns verbos que quero "conjugar" mais nos próximos 12 meses (correr, ler, etc). "Aprender" é aquele que tem ficado mais para trás e espero em 2016 ser capaz de fazer mais nessa frente (seja aprender uma língua, habilidade ou até, quem sabe, voltar a estudar).

2. O melhor de 2015: livro, viagem, série televisiva, filme e teatro?

Livro: "Vai e põe uma sentinela", de Harper Lee, pela história que envolve o próprio livro (escrito nos anos 50, descoberto e publicado agora) e por ser a base de um clássico muito querido para muitos leitores à volta do mundo, o "Não matem a cotovia".
Viagem: Sem dúvida alguma, a melhor viagem foi ter feito o Trilho dos Pescadores, na costa do sudoeste alentejano, que recomendo a qualquer pessoa.
Série televisiva: este ano não acompanhei séries de televisão, pelo que na televisão teria de destacar o novo talkshow do Stephen Colbert, que ironicamente acompanho pelo Youtube.
Filme: pouco cinema também, mas apreciei "Ex Machina", de Alex Garland, uma história de ficção científica com algumas nuances interessantes.
Teatro: a trilogia "Ifigénia, Agamémnon e Electra", de Tiago Rodrigues, no Teatro Dona Maria II, que me levou ao teatro três semanas seguidas.

3. Nove anos depois, quais as diferenças que encontras nos blogs?

Há alguns anos, blog ainda soava a estrangeirismo e a moda. Hoje, as pessoas pensam em criar um blog para partilhar o seu dia-a-dia ou uma experiência nova (como uma viagem ou um projeto) como algo absolutamente natural, como um formato que os outros vão reconhecer e perceber como leitores. Talvez seja a diferença que mais noto.

4. É o grande pomo de discórdia no sapoblogs. Os destaques. Está bem explicado neste post como é que fazem os destaques. Mas penso que falta enquadrar uma informação. Quantos blogs activos existem, neste momento, no Sapo e quantos posts são colocados por dia (uma média, claro).

No SAPO, há milhares de autores a publicar algo num blog (diariamente, podemos ter quatro mil posts publicados), seja uma receita milagrosa de como fazer um bolo de chocolate em três minutos e sem sujar loiça ou uma história muito boa que nos faz rir ou sentir próximos de quem a escreveu. Quando temos sorte, cruzamo-nos com algumas delas na equipa, e destacamo-las. Mas por cada uma que apanhamos, há muitas outras que, infelizmente, a equipa não consegue ler. Não chegam a nós, mas nem por isso deixam, felizmente, de chegar aos leitores habituais desses blogs e outros que passeiam pela blogosfera. O importante, para nós, é oferecer um espaço onde todos se sintam confortáveis a partilhar com o mundo as suas ideias e histórias. De resto, temos uma atitude muito aberta e humilde em relação ao trabalho que fazemos com os destaques.

5. Sem saber quem é o próximo convidado, que pergunta lhe deixas?

Gosto muito de aprender (e às vezes rir) com os erros dos outros, por isso perguntaria qual é o erro mais caro que já fez.

6. O que gostarias de me perguntar?

Como é a última pergunta, aproveito para agradecer o convite e a curiosidade sobre mim :) Pergunto à Magda onde é que o amor pelos livros a pode levar em 2016... algum projeto novo em vista? Alguma ideia a germinar?

Eu sempre gostava de saber onde vão buscar a ideia que tenho muitos livros...  (e que ninguém da minha casa leia isto senão obrigam-me a contar os livros...).

Para 2016 quero ler novos autores. Conhecer outras formas de contar histórias. Quero continuar a sair da minha zona de conforto (leia-se autores que já conheço). Este ano, 2015, fiz isso e sai a ganhar, li livros fantásticos de autores que nunca tinha lido. Foi, aliás, uma das razões para me inscrever no Livro secreto que a M.J. organizou. E quero continuar com as leituras conjuntas com o Clube das Pistosgas, a Miss F e quem mais se queira juntar a nós.

Ler, só por si, é sempre um projecto novo, por tudo o que um livro nos traz.

 

37 comentários

Comentar