Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Stone Art

Coisas soltas da vida que povoam o meu quotidiano. Sem amarguras nem fatalismos, com aceitação, simplicidade, ironia e alegria. Sejam bem vindos a esta minha casa.

O Perfume de Savana

Perfume da Savana.jpg

O Perfume de Savana de Ludgero Santos
Edição em 2008 pela Pé de Página Editores
ISBN: 9789896140953

 

Sinopse

Situado nos tempos em que África era uma colónia portuguesa, o presente romance espelha com intensidade os fascínios desta terra quente e inebriante e centra-se numa história de amor entre dois jovens que tudo ultrapassam para viver um amor proibido.
Ao mesmo tempo que este livro se constitui como retrato de uma época, evidenciando os seus traços culturais e, em particular, a forma como mulher é socialmente vista, ele conduz o leitor aos meandros da natureza humana e à filigrana dos sentimentos que dão cor à memória e tornam a vida uma intensa e enigmática aventura.

 

A minha opinião

Uma história de amor diferente, passada na África colonial, na década de 60. Pela voz de Daniel ficamos a conhecer a sua história com Isabel, a mulher que, um dia, o feiticeiro da aldeia mais próxima profetizou que ele iria conhecer e com quem teria nove anos de felicidade. Esta relação, a de Daniel e Isabel, serve de mote para conhecermos a sociedade da época e o seu modo de estar em relação a situações que hoje fazem parte do dia-a-dia e que, naquela altura, eram quase novidade. Pelo meio somos brindados com a savana, os seus animais e segredos. 

Foi uma leitura bastante interessante, até pela possibilidade de conhecer melhor a escrita do nosso vizinho Corvo, o autor.

Nem sempre nos sentimos à vontade para falar de um livro. Pode ser por inúmeros motivos. Porque não sabemos encontrar as palavras que o definam. Porque temos medo que as palavras que encontramos não o definam completamente. Porque achamos que as palavras que juntamos ficam muito aquém do que o livro é. Este é um desses casos.

Percorremo-lo sentindo que nada do que digamos consegue descrever com clareza as paisagens que nele vivem, a vida que nele é retratada, as personagens que nele são relatadas com uma vivência particular, dura e que, de alguma forma, nos choca hoje, visto à luz de um novo tempo.

São estes os aspectos que mais valem a pena ser lidos no livro em questão e que nos transportam para um mundo onde poderíamos ter vivido e sentido as cores de uma vida repleta África.

É um pouco de África aprisionada em folhas que podemos ter toda, no colo, através deste livro.

 

 

20 comentários

Comentar