Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Stone Art

Coisas soltas da vida que povoam o meu quotidiano. Sem amarguras nem fatalismos, com aceitação, simplicidade, ironia e alegria. Sejam bem vindos a esta minha casa.

Os Filhos de Krondor - o Príncipe Herdeiro

14241009_K6Akd.jpeg

Os Filhos de Krondor - o Príncipe Herdeiro de Raymond E. Feist
Editado em Julho de 2012 pela Saída de Emergência
ISBN: 9789896374341
 
Sinopse
 
Os gémeos Borric e Erland são os homens mais despreocupados do Reino das Ilhas. Mas a bem-aventurada juventude deles termina quando se preparam para suceder ao trono do seu pai, o Príncipe Arutha. Como primeira tarefa, o Príncipe envia-os no papel de embaixadores ao reino de Kesh, a mais poderosa das nações. Mas, mesmo antes de partirem, uma tentativa de assassínio a Borric é, o mais velho dos irmãos, é evitada no último momento. Trata-se somente do início de uma jornada traiçoeira que levará os irmãos por caminhos separados e mortíferos – um, enquanto fugitivo, o outro, enquanto futuro rei. Agora, cada um deles deve traçar o seu próprio caminho rumo à maturidade, honra e paz, enquanto os que anseiam pela guerra se tornam cada vez mais audaciosos.
 
A minha opinião

Apesar de se poder ler este livro sem ler primeiro os quatro livros que compõem a saga “O Mago”, a verdade é que se desfruta melhor “O príncipe herdeiro” se for lido na sequência dos anteriores.

Neste livro reencontramos algumas das personagens mais emblemáticas do Mago: Arutha, Anita, Jimmy, Pug e Gamina. E também algumas novas personagens, nomeadamente os dois gémeos que dão o nome ao livro, os herdeiros à coroa de Kondor, os gémeos Borric e Erland e que, para além de herdeiros à coroa, são uma das fontes de preocupação dos pais, Arutha e Anita, por serem despreocupados, desligados, verdadeiros adolescentes sem a menor noção de que, um dia, serão eles a governar o reino.

Quando Borric e Erland regressam duma missão nas fronteiras, são, literalmente, retirados duma escaramuça na vila e obrigados, pelos pais, a começarem a assumir as suas funções enquanto herdeiros. E a primeira missão leva-os a Kesh. Antes de lá chegarem, Borric é raptado para ser vendido como escravo e Erland tem de, apesar do desgosto por causa do irmão, de se assumir como herdeiro.

É através do percurso que ambos tomam, a partir do momento em que se separam, que acabam por crescer e se preparam para o que o destino lhes reserva.

Raymond F Feist criou, no Mago, um mundo novo, um mundo fantástico, onde quase tudo pode acontecer. No Príncipe Herdeiro voltamos a esse mesmo mundo. E que bem que sabe lá andar. É definitivamente um livro a ler pelos fãs da literatura fantástica.

1 comentário

Comentar