Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

StoneArt Portugal

Coisas soltas da vida que povoam o meu quotidiano. Sem amarguras nem fatalismos, com aceitação, simplicidade, ironia e alegria. Eu e os meus livros. Sejam bem vindos a esta minha casa.

StoneArt Portugal

Coisas soltas da vida que povoam o meu quotidiano. Sem amarguras nem fatalismos, com aceitação, simplicidade, ironia e alegria. Eu e os meus livros. Sejam bem vindos a esta minha casa.

Saudação

unnamed.png

Dizia o meu bisavô – que eu tive o grato prazer de conhecer e que morreu quando eu tinha seis ou sete anos – que a saudação não se nega a ninguém.

Entenda-se, por saudação, o cumprimento. Um bom dia, boa tarde ou boa noite conforme a hora a que nos estejam a ouvir (e é irrelevante, aqui para este texto o facto de que se pode dizer bom dia todo o dia que continua válido).

E este cumprimento, esta saudação, seja da forma que for, não se nega. E é prova de educação, de civismo e, acima de tudo, de que estamos a dar atenção a quem está à nossa frente. É por isso que, sempre que chego ao trabalho digo “bom dia!” a quem está e espero por resposta. E é também por isso que, quando chego a qualquer serviço para ser atendida digo, a quem me vai atender “bom dia!” antes de pedir seja o que for.

Irrita-me, por isso, solenemente, que a pessoa, do lado de lá, atenda o meu pedido sem que me diga o mesmo. Pior ainda quando preparam tudo, dão-me as coisas e nem sequer quando peço a conta são capazes de falar.

E o mesmo se passa com o Se faz favor! e o Obrigado!

Será que queima a garganta dizer estas palavras? Será que acham que são superiores aos outros e que os outros não merecem ouvir?

Bom dia! Boa tarde! Boa noite! Se faz favor! Obrigado!

Quatro, são quatro expressões simples que podem fazer toda a diferença num atendimento ou numa conversa. Quatro expressões inconsequentes, que não vos queima a garganta ou a boca, que não causam engulhos ou mal entendidos mas que devem ser ditas.

E devem ser ditas porque são uma forma de saudação. E essa, não se nega.

18 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D