Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Stone Art

Coisas soltas da vida que povoam o meu quotidiano. Sem amarguras nem fatalismos, com aceitação, simplicidade, ironia e alegria. Sejam bem vindos a esta minha casa.

Vamos alimentar uma biblioteca?

Madeira_Sunset_005.jpg

Esta localidade é Fajã de Ovelha, que fica na Calheta, na Ilha da Madeira. Não sei se sabem mas, para além dos livros, sou também uma apaixonada pela ilha da Madeira.

E foi de lá que recebi este email:

Moro numa zona rural da madeira onde as pessoas não têm grande tempo para leituras e muito menos dinheiro para aquisição dos mesmos.
Com esforço formei um grupo de leitura e empresto os que tenho depois cada um fala do livro que leu ou está a ler.
Como neste momento estou desempregada não me posso dar ao luxo de comprar livros e pensei que talvez nos pudesses oferecer alguns ou até falar com alguns conhecidos que nos possam oferecer.

A zona tal como disse é rural, chama-se Faja da Ovelha e fica no concelho da Calheta. a freguesia tem se cerca de 700 pessoas em que 80% são idosos, porque os mais novos imigram devido á falta de emprego. No inverno o grupo tem cerca de 8/9 pessoas no verão não aparecem mais de 3, pois andam na agricultura até ao anoitecer. 

Onde se junte um leitor e um livro, nasce uma biblioteca. E cada um de nós pode ajudar a alimentá-la. Basta que se pegue num livro - novo, ou que já não se quer, porque já leram, ou porque está repetido (e sim, isto já me aconteceu) ou porque já não pensam ler - e oferecer esse(s) livro(s) para o grupo de leitores da Fajã de Ovelha. Aos poucos, livro a livro, a biblioteca local irá crescer e o gosto pela leitura aumentará certamente.

Da minha parte vou escolher dois ou três e enviar para lá. Quem quiser fazer o mesmo basta que me contacte por email (magda.pais@gmail.com) que eu darei a morada para envio.

Conto convosco?

Update: se quiserem enviar directamente para a Junta de Freguesia também o podem fazer. Esta é a morada: 

Junta de freguesia da Fajã da Ovelha 
A/C: Elisabete Lourenço 
Caminho de S. Lourenço,151
9370-362 Fajã da Ovelha

********

Não se esqueçam de participar nos dois passatempos em curso - passatempo Órfão X e Passatempo solidário Pilar

Confissões de uma bibliófila

BOOK-Wallpaper__yvt2-520x340.jpg

A minha querida pistosga que lê, a M* deixou-nos as suas confissões de uma bibliófila. E eu, armada em invejosa (mas daquelas invejas boas que os amigos verdadeiros sentem uns pelos outros), roubei as perguntas, dei as minhas respostas, e aqui ficam as minhas confissões de uma bibliófila que também sofre de bibliomania.

Convido todos os bibliófilos que por aqui passam a deixarem-nos as vossas confissões também.

 

  1. Qual o género literário de que te manténs longe?

Ora bem. Temos aqui um problema. Tirando livros técnicos ou políticos, eu leio. E o ponto final é mesmo um ponto final. Ficção cientifica, romance, erótico, biografias, fantasia, juvenil… não preciso de continuar a enumerar, pois não? É livro? Não é técnico ou politico? Então eu leio. 

  1. Qual é o livro da tua estante que tens vergonha de ainda não teres lido?

2666 de Roberto Bolaño. Dizem que é fantástico, extraordinário e sabe-se lá mais o quê mas a verdade é que só consegui ler as primeiras 50 páginas. Depois desisti. Gostava de o conseguir ler para perceber o fenómeno ao seu redor mas, sinceramente, é mais forte que eu. 

  1. Qual é o teu pior hábito enquanto leitora?

Levar o livro para todo o lado. E quando digo para todo o lado, é mesmo quase literal. Praia, campo, restaurantes, cafés, transportes públicos, casa de banho… todas as situações e todos os locais servem para ler. E claro que o livro acaba por sofrer as consequências, mesmo quando as tento evitar. 

  1. Costumas ler a sinopse antes de ler o livro?

Normalmente leio-a antes de comprar o livro ou quando me oferecem. Não sendo o único, é, sem dúvida, um dos critérios que me faz decidir entre comprar e não comprar. 

  1. Qual é o livro mais caro da tua estante?

Foram os meus livros favoritos de 2014 assim como os mais longos. Juntemos-lhes, agora, os mais caros. Cada um deles custou cerca de € 29,00 mas valeram cada cêntimo e não me arrependo minimamente. 

  1. Compras livros usados?

Eu compro livros. Novos ou usados. Só não compro ebooks, mas esses não são livros

Não me faz confusão nenhuma que alguém os tenha lido primeiro. São livros, não são cuecas. E os livros são felizes passando de mão em mão e tendo quem os leia e ame. 

  1. Qual é a tua livraria, loja física, preferida?

Bertrand, Bulhosa ou a Livraria da Lua de Marfim. Em qualquer uma delas respira-se livros num ambiente bastante agradável e onde podemos espreitar novidades, procurar promoções ou estar, simplesmente. 

  1. Qual é a tua livraria online preferida?

Wook seguramente. Para todos os livros e até escolares. Os livros vêm sempre bem acondicionados, o contacto é sempre rápido (apesar de ser apenas através da Internet e não haver nenhum telefone ou loja física). Inclusivamente, aqui há dois anos tive de trocar, duas vezes, uns livros escolares e as trocas correram muito bem e sem stresses. Tem excelentes promoções e o cartão wook onde se vão acumulando euros para as compras seguintes. Funcionamento cinco estrelas!

Conheci, recentemente, a Bibliofeira e também me parece interessante apesar de se ter de ter algum cuidado com o vendedor. Tenho o hábito de ir espreitar as critica e isso ajuda a que corra melhor.

Na FNAC tenho receio de comprar. Confesso que, depois do percalço que me aconteceu, se tiver de comprar na FNAC, peço para ser entregue numa loja e vou lá levantar. Ora indo à loja física, mais vale comprar logo lá – a menos que haja alguma promoção exclusiva on line.

Estou a excluir, claro, os grupos de venda de livros usados do facebook, dado que não são livrarias on line. 

  1. Tens um orçamento (mensal) para comprar livros?

Não. Tenho livros que quero comprar e depois tenho, ou não, possibilidade de o fazer. Se pudesse, comprava todos. Não podendo, vou escolhendo. E agora, tirando os que comprei esta semana com o vale da Wook que tinha por causa da compra dos livros escolares e que, afinal, era de € 18,30, não penso comprar mais nos próximos tempos porque ainda tenho uns quantos na fila à espera de vez. 

  1. Dos livros que já leste em 2015, qual o teu top cinco de melhores leituras:

Sem nenhuma ordem em especial e passível de, nos próximos quatro meses ser alterada, aqui fica a lista dos cinco melhores livros que li em 2015:

O asteca de Gary Jennings. Dividido em dois volumes, Orgulho Asteca e Sangue Asteca.

Perguntem a Sarah Gross, romance de estreia de João Pinto Coelho

Maria II - Tudo por um Reino de Isabel Stilwell

Misery de Stephen King

Caçadores de Cabeças de Jo Nesbø