Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Stone Art

Coisas soltas da vida que povoam o meu quotidiano. Sem amarguras nem fatalismos, com aceitação, simplicidade, ironia e alegria. Sejam bem vindos a esta minha casa.

um desafio a propósito dos incêndios

Tenho de me confessar preocupada. E, como eu, creio e desconfio, que todos os portugueses minimamente conscienciosos estarão preocupados. Com a falta de chuva, com o excesso de incêndios, com as mortes resultantes dos incêndios, com a falta de água e com os problemas que podem advir da chuva misturada com a cinza.

Percebo que, em momentos de aflição - como o que estamos a atravessar - a primeira ideia seja partilhar as imagens da desgraça: dos fogos, das labaredas, do fumo. São belas imagens, dramáticas e que mostram - na perfeição - o drama. Mas (e apesar de não perceber nada de psicologia ou psiquiatria), quer-me parecer que estas imagens podem ter o efeito contrário, incentivando os incendiários a querem fazer mais e melhor que os outros. A querem ser eles os autores do maior fogo, da maior nuvem de fumo, da melhor foto da desgraça alheia. 

Sempre achei que a partilha (até à exaustão) de fotos ou noticias sobre incêndios, suicídios, baleias azuis, etcetal, são contraproducentes e que devia haver muita contenção, não só dos jornalistas mas também do comum dos mortais.

Por isso... e sabendo que pode estar condenado ao fracasso, lanço-vos daqui um desafio. Partilhem a foto do que queremos que aconteça, não do que está a acontecer. 

Esta é a foto que escolho para responder a este desafio:

chuva (1).jpg

 E vocês? qual é a vossa escolha?

 

Chapéus (de chuva) há muitos

Sem Título.png

Sua palerma...

Quem te manda a ti, Magda Maria (sem Maria) sair de casa, em dia de chuva, sem chapéu? ainda para mais, sua idiota, espreitaste pela janela da cozinha e percebeste logo que, apesar de, no Barreiro, estar apenas a chuviscar, as nuvens por cima de Lisboa anunciavam chuva e daquela que molha parvos e menos parvos.

Ora se viste isso tudo, explica-me lá porque raio saíste de casa ligeirinha, sem chapéu de chuva?

Não tens resposta, não é? Pois... e depois queixaste que te molhas, que ficas encharcada, que te constipas... e que gastas imenso dinheiro em chapéus de chuva que ficam espalhados pelos quatro cantos porque te acabas por esquecer onde os deixas!!!!

Toma juízo, 'pariga, toma juízo que o Inverno está a chegar, a chuva também e vê se te habituas a andar de chapéu. É que, se não te habituares, quem vende chapéus agradece mas a tua carteira não!!!