Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Stone Art

Coisas soltas da vida que povoam o meu quotidiano. Sem amarguras nem fatalismos, com aceitação, simplicidade, ironia e alegria. Sejam bem vindos a esta minha casa.

Desgracei-me #2

livros.jpg

Já me tinha desgraçado a semana passada quando foi à Feira do Livro. Mas como disse na altura, quis lá voltar e hoje aproveitei que o dia estava mais fresquinho para o fazer, na companhia duma boa amiga.

Comecei pela Saída de Emergência. Na compra de dois livros ofereciam o terceiro. Eu comprei quatro, trouxe seis para casa. E como gastei mais de € 20,00, trouxe um vale de € 5,00 para gastar no site da editora (e que é cumulativo com outras promoções).

Mais uma vez, no pavilhão da Leya só comprei um livro. A semana passada tinha sido Perguntem a Sarah Gross (leiam que não se arrependem). Ainda estive com o livro vencedor do prémio Leya em 2014 nas mãos mas optei por não o comprar. É que, depois de ler Perguntem a Sarah Gross, um dos finalistas e de o ter adorado, fiquei com um misto de sentimentos e que se resumem a: e se o júri não soube avaliar bem e o finalista é melhor que o vencedor?

Voltei à Porto Editora e sai de lá com Os Maias. Depois da M.J. tanto me ter recomendado que o leia, resolvi comprar esta versão que, ainda por cima, era livro do dia e por isso ficou bastante barato.

Mas o estrago não estaria completo enquanto não comprasse um dos livros que a Sara me recomendou. Jane Eyre da inglesa Charlotte Brontë, um romance editado em 1847. Encontrei-o em vários pavilhões a valores dispares mas como sabia que a Nathy o tinha comprado a menos de € 10,00 lá falei com ela para saber qual tinha sido o pavilhão e fui até à Civilização comprá-lo por € 6,60.

Resumindo, em duas idas à Feira do Livro de Lisboa, gastei cerca de € 150,00 e trouxe 22 livros para casa. Ainda fiquei com dois vales, um para gastar na Bertrand (loja física) e outro para gastar no site da Saída de Emergência.

Agora vou ali num instantinho guardar os livros muito devagarinho no meio dos outros que ali estão à espera de vez para serem lidos e vou fixar post-its e lembretes pela casa toda a dizer:

- não compro mais livros enquanto não ler os que tenho

- não compro mais livros enquanto não ler os que tenho

- não compro mais livros enquanto não ler os que tenho

- não compro mais livros enquanto não ler os que tenho

 

Desgracei-me #1

Livross.jpg

 ... Na Feira do Livro de Lisboa!!!!

Não estava previsto mas hoje dei lá uma saltada. Tinha pensado, inicialmente, ir à noite ou a um domingo de manhã mas como estava por perto, ouvi o chamamento dos livros e pronto, lá fui eu.

Apesar do imenso calor que se fazia sentir, consegui ir a quatro pavilhões. A Porto Editora (promoção fantástica, tinha € 35,00 em livros mas só paguei € 30,00 e ainda recebi um vale de € 5,00 para ir à Bertrand quando a Feira acabar), a Saída de Emergência (não comprei coisa alguma... tinha-me esquecido de actualizar a lista dos livros que tenho e tive receio de comprar repetidos), a FNAC (livros em inglês para a catraia) e a Leya (onde comprei um único livro cujo autor não conheço mas que tem tido criticas fabulosas a este romance).

Na Saída de Emergência encontrei alguns livros a € 5 e € 8 que são interessantes, tenho de lá voltar, até pela promoção de leve 3 pague 2 (estas promoções lixam-me sempre).

Quero também regressar à Leya, não consegui ver como deve ser a zona porque estava quase tão encharcada em suor como se tivesse tomado banho.

Passei, de fugida, pela Presença, enquanto comia um Fizz Limão e vi que também estava com alguns livros interessantes, a ver se, quando lá regressar, se vou lá espreitar melhor.

E pronto, gastei, ao todo, cerca de € 90 e trouxe os livros acima. Um dia destes sou corrida de casa para se poderem guardar os livros...

Bibliomania

É um transtorno obsessivo-compulsivo que se caracteriza pela entrega total aos livros e às colecções dos mesmos. As pessoas afectadas por esta síndrome negligenciam outros aspectos importantes da vida, como as relações com amigos e familiares. Constitui um desejo incontrolável em construir uma enorme colecção de livros ou uma sofreguidão em ler, ainda que seja um livro que já leu.

(retirado daqui)

 

Sim, eu sofro deste transtorno! Eu, bibliomaníaca me confesso. Talvez numa forma mais reduzida já que não negligencio a família, os amigos ou o trabalho (ou pelo menos acho que não o faço…). Mas viciada completamente em leitura, em aquisição de livros e em mantê-los. Não me consigo desfazer de nenhum, e nem consigo deixar de os comprar.

 

No outro dia, depois de mais uma passagem pela Feira do Livro de Lisboa, quando os meus pais chegaram lá a casa para jantar, só ouvi a minha mãe dizer, ao ver os livros comprados "és doida, já não te chegam os que tens? e agora onde vais guardar estes?"

 

A verdade é que, com a ajuda da filha, tão bibliomaníaca como eu, do marido e do filho, sempre vamos arranjando espaço para todos os livros que compramos. Porque, como dizia a Sundays no seu blogLivros no caminho? Guardo-os todos. Um dia vou construir uma biblioteca privada”