Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Stone Art

Coisas soltas da vida que povoam o meu quotidiano. Sem amarguras nem fatalismos, com aceitação, simplicidade, ironia e alegria. Sejam bem vindos a esta minha casa.

Redes Sociais e aplicações para Booklovers

Na era das redes sociais e aplicações para telemóveis e tablets, existem agora algumas dedicadas a booklovers, onde podemos trocar impressões sobre livros lidos, descobrir a opinião dos outros sobre os livros, acompanhar os nossos escritores favoritos, ler excertos dos livros on line ou até trocar livros.

Techtudo reuniu onze dessas aplicações:

 

Livreto

Com um visual dinâmico e interessante, o Livreto é uma rede social para leitores com vários livros para classificar como lidos ou desejados, permitindo ainda que os usuários troquem suas opiniões.

Como muitas das obras em seu acervo foram incluídas pelos próprios participantes, a plataforma possui muitas informações duplicadas ou incompletas, enquanto algumas de suas imagens não estão enquadradas ou têm baixa resolução. No entanto, é possível encontrar de tudo por lá.

 

Widbook

Esta plataforma reúne uma comunidade colaborativa para compartilhar gratuitamente e-books independentes. Participantes podem escrever textos, ler novidades e publicar mensagens de críticas.

Com vários recursos para interagir com outros usuários e promover obras no Facebook, Twitter e Google+, o Widbook pode ser acessado pela Web, mas também possui apps para Android e iOS.

 

Orelha de livro

Em uma interface simples, o Orelha de Livro é uma rede social para leitores interagirem. Além disso, ela oferece recursos para montar uma biblioteca virtual com livros lidos e desejados.

Com uma eficiente ferramenta de buscas, a plataforma apresenta também uma enorme lista de autores e suas obras. Além disso, o usuário também tem acesso a um ótimo feed de notícias e pode visualizar um ranking com os 100 livros mais lidos.

 

Shelfari

Criada em 2006 e adquirida pela Amazon em 2008, a Shelfari foi uma das primeiras redes sociais literárias da web. Seus usuários podem criar uma estante virtual com as obras registradas, podendo ainda catalogá-las por temas e classificá-las com notas de acordo com seus interesses.

Apesar de só ter títulos em inglês, a plataforma tem comandos intuitivos, um visual agradável e com várias informações sobre autores e suas obras. Entre os dados é possível encontrar notas editoriais, resenhas de outros usuários, capas de outras edições, etc.

 

Minhateca

Desenvolvido para a web, mas já com um app para Android, o Minhateca é um serviço online gratuito e colaborativo para compartilhar textos, imagens e arquivos por nuvem.

Com um eficiente sistema de busca por autores e títulos, a plataforma permite encontrar diferentes textos e em diversos formatos, desde que publicados e disponibilizados por outros usuários.

 

Scribe

O Scribe é uma rede social que reúne textos independentes e colaborativos, com o objetivo de reunir usuários com interesse de ler e compartilhar contos, resenhas e poemas de diferentes temáticas.

Em uma interface agradável e intuitiva, a plataforma promove também uma série de concursos culturais e oferece recursos para curtir, comentar e publicar os textos no Facebook, Twitter e Google+.

 

Skoob

Criado em 2009, o Skoob é uma rede social colaborativa para montar uma biblioteca virtual com livros lidos e desejados, permitindo ainda que seus usuários escrevam resenhas e classifiquem as obras com notas.

Desenvolvido por brasileiros, o Skoob tem um excelente sistema para troca de livros, oferece grupos de discussão sobre diferentes temas, pode ser vinculado a uma conta de Facebook e ainda tem apps para Android e iOS.

 

Movellas

Com um enorme acervo de textos e poesias independentes sobre os mais variados assuntos, o Movellas é uma plataforma colaborativa para escrever, divulgar e ler principalmente contos e fanfics.

Os usuários podem escolher feeds sobre diferentes temas, vincular contas com as mais variadas redes sociais e acessar a plataforma através da Web ou de apps para Android e iOS.

 

Wattpad

O Wattpad é uma rede social para leitores e escritores que também oferece milhares de livros e contos gratuitos, publicados e compartilhados por seus usuários. Apesar de grande parte de seu conteúdo estar em inglês, a plataforma tem uma excelente ferramenta de buscas.

Com diversas áreas temáticas e a praticidade de vincular contas de Facebook e Twitter, o Wattpad pode ser acessado pela Web ou através de apps para Android, iOS e Windows Phone.

 

Goodreads

Goodreads é uma rede social para leitores com informações organizadas e várias matérias sobre novidades literárias.

Sua interface apresenta um feed de notícias muito sofisticado, mas também oferece recursos para buscar autores e suas obras e montar uma estante virtual, permitindo que cada livro seja classificado com notas e receba resenhas e comentários.

 

Livralivro

Com o objetivo de promover e estimular a troca de livros entre seus usuários, o LivraLivro é uma rede social para leitores com um visual amigável e intuitivo.

A plataforma possui recursos para adicionar obras literárias em uma estante virtual e avalia-las. Ela também traz um interessante sistema de pontuação e classificação para enviar e receber livros.

My precious books

Desktop-tablet-book-wallpapers-The-Book-of-Secrets

A minha tarde de domingo foi preenchida a preencher – passe-se o pleonasmo – a prateleira dos meus livros no Goodreads.

Que tenho uma grande paixão por livros, todos sabem. Ou pelo menos desconfiam. Porque, como diz a Maria, o meu braço não acaba na ponta dos dedos mas no livro que seguro nas mãos.

E que um dos meus sonhos, o mais antigo talvez, é ter uma biblioteca, bom, também é conhecido.

Façamos então o ponto de situação sobre os meus livros, my precious books.

Conclui, depois de terminada a tarefa de domingo, que tenho, neste momento, mais de 845 livros. 845 são os que estão registados na base de dados do Goodreads. Infelizmente muitas editoras, principalmente as mais pequenas, não colocam os livros que editam nesta plataforma e, por isso, não pude registar cerca 250 livros. Faltam ainda registar uns 30 que são em inglês e que me foram oferecidos por uma grande amiga.

Penso, por isso, que será justo dizer que tenho pouco mais de 1100 livros em casa.

Esses poucos mais de 1100 livros abarcam quase todos – se não mesmo todos – os géneros, feitios, anos e são de imensos escritores diferentes. Uns que li na minha juventude, outros que irei ler na velhice, e 100 para ler nos próximos tempos.

Verifiquei também, depois de terminar este registo, que já li 760 livros. Creio que este número estará incorrecto e bastante abaixo da realidade. Porque nem todos os livros que li eram meus. Não tenho qualquer problema em ler livros que vou buscar a bibliotecas nem sequer em ler livros que me emprestam. Da mesma forma que não me importo de emprestar livros a quem tenha confiança suficiente para saber que os vão estimar tanto como eu e que me irão devolver logo que os acabem de ler, tal como eu faço quando me emprestam. Além de que, na minha infância e juventude li imensos livros na casa dos meus pais – que são deles – e li imensos livros trocados com o meu mano. Talvez nunca venha a saber, ao certo, quantos livros já li. Gostava de o saber mas não me parece que consiga.

Estes são, portanto, os números no momento em que escrevo este post.

Nos próximos dias poderão mudar. Seja porque comprei mais um livro, porque me emprestaram outro ou porque recebi alguma prenda.

Quando se chega a este número de livros é quase impossível tê-los arrumados como gostaríamos, ou seja, por autor e/ou editora como a Nathy gosta de fazer. O tempo que demora a arrumar dessa forma é tempo que queremos aproveitar a ler e não a arrumá-los. Não deixa, no entanto, de ser gratificante fazê-lo. Este domingo, por exemplo, tive, nas minhas mãos, as primeiras edições d’Os Cinco, d’Os Sete e outros da mesma altura e adorei voltar a tê-los nas mãos, sentir a textura e o cheiro dos livros que me encantaram quando era uma gaiata e mais ainda porque a minha filha também já os leu.

Arrumei as minhas estantes a última vez em Outubro de 2014. Na altura consegui que todos coubessem nas prateleiras. Neste momento já há duas ou três pilhas de livros à espera de espaço. Espero poder, em Setembro, mandar fazer as novas estantes, no hall de entrada da casa, para poder arrumar os que estão em falta. Se tiver tempo e coragem, voltarei a arrumar por autores. Se não… será por ordem de leitura.

E a biblioteca, aquele que é o meu sonho?

Bem, um dia lá chegarei. Ainda me falta um longo caminho até ter a biblioteca com que sempre sonhei, mas livro a livro lá chegarei. E mesmo que não a chegue a ter, terei em mim todos os livros que li.

E morrerei, um dia, feliz por os ter lido.