Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Stone Art

Coisas soltas da vida que povoam o meu quotidiano. Sem amarguras nem fatalismos, com aceitação, simplicidade, ironia e alegria. Sejam bem vindos a esta minha casa.

No blog com... Hélder Oliveira

noblog.jpg

Estas últimas semanas tem sido bastante complicadas e a rubrica No Blog Com acabou por sofrer com isso. Mas hoje temos cá o Hélder Oliveira

Fui completamente apanhado de surpresa! Enviei um mail à Magda para me envolver noutro projecto e assim, de chofre, fui intimado a enviar um texto onde falaria sobre mim para ser entrevista para a rubrica "No blog com...".
Fiquei logo todo eufórico!
É sempre difícil falar sobre nós. Como é óbvio, não vamos falar mal de nós próprios mas, por outro lado, se nos autodescrevermos com algumas qualidades, podemos correr o risco de ser chamados de convencidos.
Sou um rapaz simples, humilde, bastante sonhador, cresci e sempre vivi num meio rural, e não trocava esta paz por nada deste mundo.
Sou solteiro e bom rapaz, assim espero. Mas sou bastante apaixonado pelos livros, tenho um casamento perfeito com eles, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença.
A palavra desemprego já faz parte da minha vida já algum tempo, mas não é por isso que deixo de viver e arranjo sempre maneira de estar ocupado.
O blog Pensamentos e Palavras retrata, de uma forma simples, os pensamentos de um jovem sonhador, com bastante sentido de humor, que tem uma enorme sede de conhecimento e pretende alcançar aquele sonho que todos nós, humanos, queremos. Ser feliz!
 
1. Deixada pela Cristina - Se pudesses voltar ao passado mudavas alguma escolha da tua vida?
Sim, mudava tanta coisa! No entanto, a mais importante das escolhas, seria a de nunca abandonar os estudos! Sempre tive o sonho de, um dia, poder ingressar na faculdade, tirar história ou literatura, ser professor, mas as circunstâncias da vida não o permitiram. Contudo, nunca é tarde para aprender e, quem sabe, um dia não estarei a leccionar numa escola qualquer deste país...
 
2. Se tivesses de escolher um livro... qual seria?
Ora aqui está uma pergunta um pouco difícil... São tantos os livros que já li que considero muito bons, que já nem tenho conta. Sem dúvida alguma que escolheria "Os Anagramas de Varsóvia" de Richard Zimler. Eu adoro o Zimler, amo mesmo! Ele tem muitas obras publicadas onde aborda muito o massacre dos judeus, um tema que sensibiliza todos nós, pelo simples facto de tantas vidas humanas terem sofrido horrores às mãos de um homem com sede de poder. Para aqueles que não conhecem o livro que referi, recomendo vivamente, vão chorar, tal como eu chorei, e não tenho vergonha de o admitir! Afinal, um homem também chora.
 
3. Como te vês daqui a 10 anos?
Não faço a mínima ideia. Se me perguntassem isso à 10 anos atrás, eu teria respondido que me via a trabalhar e a ter a minha independência que sempre quis alcançar. Contudo, 10 anos passaram, e a palavra desemprego, uma palavra tão pesada de ser carregada sobre os ombros, ainda continua tão presente na minha vida, fazendo imensos estragos. Como sonhar ainda é de graça neste país, daqui a 10 anos gostava de já ter o meu curso concluído e levantar-me todos os dias com um objectivo, o de contribuir para a aprendizagem e educação dos nossos jovens, pois eles serão o futuro do nosso país. Tenho medo que daqui a 10 anos, esses valores tão importantes, caiam ainda mais no esquecimento.
 
4. Qual é o papel que o humor tem na tua vida?
Por norma sou uma pessoa sempre alegre e de bem com a vida. Sou apologista da frase "se a vida te virar as costas, aproveita e apalpa-lhe o rabo". O humor é muito importante para todos nós, pois com um sorriso no rosto, os nossos problemas diários, ficam mais fáceis de lidar. Afinal, que piada teria a vida, se tudo fosse cor-de-rosa? Por isso mesmo é que levo a vida não tão a sério, gosto de brincar, de me divertir, libertar a criança que ainda está cá dentro e espero que perdure.
 
5. Sem saberes quem é a próxima convidada, que pergunta lhe deixas?
O que é a felicidade para ti?
 
6. O que gostarias de me perguntar?
Gostarias de escrever um livro? Que temática abordarias?
Curiosamente já escrevi e publiquei três livros. Vida na InternetEpisódios Geométricos e Viagens. Todos eles com crónicas sobre o meu dia a dia.

No blog com... Cristina

Untitled.jpg

Hoje no blog com traz-nos a autora do blog Redemption 

A Magda lançou-me este desafio e eu muito a medo disse-lhe que ia pensar com carinho. Mas é claro que não se pode dizer que NÃO à Sra. D. Magda, por isso aqui vai...
A Me, Myself and I é uma mulher adulta de 45 anos, mas que se sente e pensa como se tivesse parado nos 30!
Bem casada, com 1 filhote lindo de 9 anos e 2 gatas.
Levo uma vida normal, numa cidade pequena e pacata, focada essencialmente no bem estar da minha família.
Comecei este blog porque precisava de ter um cantinho só meu, que não partilhasse com ninguém que eu conhecia, onde pudesse exorcizar os meus demónios pessoais sem vergonha.
Aos poucos fui descobrindo que não estou sozinha nesta cruzada pessoal e tem sido fantástico conviver e conhecer pessoas extraordinárias, cada uma com os seus próprios demónios e sem vergonha de os admitir!
Não é fácil para mim ver-me ao espelho e dizer como me vejo, mas a noção que tenho de mim é que sou preguiçosa, não consigo levar os meus objectivos pessoais até ao fim,  não gosto de conflitos mas quando abusam eu sou capaz de falar, gosto de paz e sossego, sou amiga dos meus amigos, pontual, responsável, tenho um humor caustico que nem toda a gente aprecia,  sou de humores hormonais, gosto de amar e de ser amada!
E basicamente isto sou eu...mentira...sou muito mais, sou mulher, amante, amiga, mãe, filha, sou mil e uma coisa!

1. Deixada pela DramaQueen: Qual é o maior sonho que não concretizaste?
O meu maior sonho, que ainda não concretizei, é uma viagem a Paris, à cidade do amor, pois sou uma romântica incorrigível!
 
2. Fazes parte dum pequeno (e fantástico) grupo que aderiu ao livro secreto. O que te levou a juntar a esse desafio?
Desde que me conheço sempre fui uma leitora compulsiva. Adorava ler. Li tudo o que me ia aparecendo pela frente. Comecei pela BD, depois pelos livros dos Cinco, os Sete, as Gémeas, e outras coleções que nem me lembro. Enquanto adolescente e sem dinheiro para comprar livros, devorei os livros da Biblioteca da minha cidade. Quando comecei a trabalhar comecei a comprar livros, muitos livros eu comprei e li! Casei, descasei, voltei a casar, tive um filho, e algures, pelo caminho perdi essa vontade de ler...e fiquei pela televisão, pelas séries ou cinema. A leitura era esporádica, 3, 2 livros por ano, talvez nas férias! Até que no final do ano passado tomei a decisão que tinha que voltar às leituras, que tantas alegrias que tinham dado no passado! E acabo eu de tomar essa resolução quando leio no blog da M.J. o desafio do Livro Secreto! Coincidências? Não! Julgo que não! Entendi que eram sinais e que os devia seguir, sem questionar! E aqui estou eu, bem sei que ninguém está a fazer contas, com 7 livros já lidos, 3 dos quais do Grupo do Livro Secreto!!! E que venham mais!
 
3. Qual a importância da maternidade na tua vida?
Sempre tive o desejo de ser mãe, de segurar nos meus braços o fruto do amor entre duas pessoas (bem sei…sou uma romântica do mais piroso que há!).
E sempre desejei ter um filho e até nisso a natureza me favoreceu! Desde que fui mãe a vida passou a ter um sentido diferente, não vivo só para mim, vivo para outra pessoa, para que essa pessoa cresça saudável física e emocionalmente.
Por outro lado a partir do momento em fui mãe deixei de ter um momento de “sem preocupação”, ando sempre com o coração apertado, apesar de não o deixar transparecer para o filhote!
 
4. O que mais te atrai nos outros blogs?
Gosto de blogs que falam do quotidiano, de pequenas incertezas diárias, de saber que há mais pessoas como eu, com falhas e imperfeições. Gosto de blogs cuja escrita me faz sonhar, me faz desejar ter essa ter essa capacidade de expressão! Atrai-me blogs que me deem a conhecer livros que não conhecia, de ler sobre eles.
 
5. Sem saberes quem é a próxima convidada, que pergunta lhe deixas?
Se pudesses voltar ao passado mudavas alguma escolha da tua vida?
 
6. O que gostarias de me perguntar?
Se fosses parar a uma ilha deserta (hipoteticamente falando, claro!) que personagem de um livro escolherias para te fazer companhia? Porquê?

Robinson Crusoe, obviamente! Acho que faz sentido escolher a personagem que já sabe o que fazer quando estamos numa ilha deserta. Afinal ele sobreviveu à mesma situação...

No blog com... Drama Queen

Untitled.png

No blog com... Drama Queen

Sou uma Alentejana sem travões com muito orgulho nas minhas raízes, que leva uma vida muito normal casa trabalho, trabalho shopping casa a vida não é só trabalho. Sou extremamente teimosa, orgulhosa, muito esforçada, muito focada no que faço, tenho grandes defeitos ponho os meus amigos em primeiro lugar, sou muito insegura, preguiçosa.
Tenho um namorado que vive na outra ponta de Portugal já vivemos nisso vai fazer 3 anos, amo muito estou desejar que ele venha viver comigo. E uma mão cheia de amigos verdadeiros, que são completamente doidos mas não sabem que tenho um blog, sem ser a minha mãe, namorado, 3 colegas de trabalho que sabem que tenho um blog mas não sabe o nome… é segredo.

  1. Deixada pela Ana: O que te dá felicidade na vida?

Ver quem me rodeia bem de saúde e bem com vida, deixa-me feliz.

Viajar poder ver pessoas diferentes com diferentes culturas e lugares diferentes.

  1. Porquê Dramaqueen?

A minha família e amigos nem sabem que eu escrevo um blog porque para mim este blog é o meu "jardim proibido" ou uma espécie de lugar só meu para eu partilhar minhas coisas. Como criei este blog para desabafar sobre as minhas desventuras porque o meu namorado diz que eu estou constantemente a queixar-me achei que era muito mais giro queixar-me na blogsfera.

Quero continuar a ser uma anónima por outro lado quero muito que leiam os meus posts para dar a conhecer o meu lado mais obscuro ou seja o menos bom e o bom. Tenho muita dificuldade em relações humanas segundo os meus colegas de trabalho por outro lado o meu namorado diz que eu só vejo o melhor nos outros não vejo o pior quero ver se desligo um pouco do que os outros pensam de mim e por em primeiro lugar o que eu penso de mim.

A ideia do nome surgiu quando meu ex-patrão 1 (em 2 anos mudaram de patrão 3 vezes, eu trabalho há 6 anos lá) que cada vez que eu descrevia uma situação de trabalho dizia que eu era muito dramática.

Imaginem o cenário típico Casa dos Segredos.

- Drama Queen chamada ao confessionário (escritório do Patrão).

- Maria!... Tu não gostas muito que mandem em ti?(o meu ex-patrão chamava-me Ana, Maria todos os nomes menos o meu nome real)

- Nada mesmo, porquê, você gosta?

- Pois, pois... Não é essa a questão. Tu tens de seguir o teu líder.

- Não tenho a culpa que só se formem lideres. Pode parar! Já têm que chegue, agora forme pessoas para executar tarefas dá imenso jeito.

- Posso quando tu deixares de ser dramática.

Todas as nossas conversas acabavam com a palavra dramática.

Então ficou Drama Queen...

  1. Praia, campo ou cidade. Onde te sentes melhor?

Praia, não vivo sem o mar e sem praia eu vou ano todo a praia de Inverno vou caminhar com a Chanel, de Verão porque as praias estão concessionadas ela não pode ir. Mas vou sempre que posso no Verão.

  1. Como ocupas os teus tempos livres?

Os meus tempos livres são sempre muito pequenos, tento ler, passear a Chanel, estar com minha afilhada e irmã, amigos. Claro escrever no blog.

  1. Sem saberes quem é a próxima convidada, o que gostarias de lhe perguntar.

Qual é o maior sonho que não concretizaste?

  1. O que gostarias de me perguntar.

Quais são os teus maiores sonhos?

ter uma biblioteca à séria (acho sempre que tenho poucos livros), viajar, estar com a família e os amigos...e fazer um cruzeiro!

No blog com... Ana

de repente.png

A Ana está, de repente já nos 40!!! mas também está hoje no Blog com...

 

Olá, eu sou a Ana, ontem dei um pouco de conversa à Magda ou ela a mim, já nem sei bem porque com este belo e surpreendente convite, que muito agradeço, até fiquei baralhada.
Então quem sou eu? Para começar não gosto lá muito de falar de mim e quando me começam a fazer muitas perguntas já percebi que consigo dar a volta à conversa e ponho os outros a desbobinar e sem ninguém dar por nada consigo ficar calada.
Sou tímida, muito caladinha, mas assim que tenho confiança com alguém viro completamente desbocada. Acho que o meu papel aqui na terra é fazer rir os outros. No meu facebook vou pondo frases com as quais me identifico como "Ri melhor quem ri apesar de tudo" ou "não leves a vida tão a sério porque ninguém sai vivo de qualquer maneira".
Acho que tudo aparentemente "menos bom" por que passei na vida foram etapas necessárias para me fazer crescer e ver a vida com outros olhos.
Acabo por ser uma dualista como o fado "Desfado" Sou uma otimista nata mas neste momento perdi a capacidade de sonhar, tenho uma excelente autoestima mas por outro lado sempre tive pouca confiança em mim.
Neste momento estou desempregada, a trabalhar para conseguir desenvolver um projeto próprio e acho que o passo que me falta dar é conseguir voltar de novo a sonhar.
Ainda conservo no B.I. aquele estado civil que uma vez mudado já ninguém volta. Cá em casa somos 5, eu a caminho dos 42, dois gatos a caminho dos 15 e duas tartarugas a caminho dos 5.
Sou tia de 4. Tenho daquelas famílias onde todos gostam de todos, sou do tempo em que tínhamos poucas aulas, poucos trabalhos e passávamos a tarde a brincar na rua.
Por isso o meu blog, é o blog de uma quarentona, desempregada, sem marido, sem filhos ainda à espera que tudo aconteça na vida (ou não). Até lá vou dançando...

1. Deixada pela Ana RitaSe pudesses voltar o tempo atrás, qual a situação da tua vida que gostarias de alterar?

Confesso que não tinha tido um pseudo-relacionamento que tive para tentar esquecer outro que tinha sido mesmo a sério.
 
2. Qual o balanço que fazes do teu blog?
É bom estar aqui. Acho que o blog reflete a pessoa que eu sou. E já conheci pessoas muito interessantes através dos seus blogs.

3. Se tivesses de escolher uma música que te defina... qual seria?
Como tinha dito na minha introdução sem dúvida o "Desfado" da Ana Moura mas também o "Velha e Louca" da Mallu Magalhães. Já lhes dediquei entradas no meu blog.
 
4. Qual é, para ti, O livro?
Acho que ainda não O li. Ou então é impossível de escolher entre centenas e centenas de livros que já li e dezenas que amei.

5. Sem saberes quem é a próxima convidada, o que gostarias de lhe perguntar.
O que te dá felicidade na vida?

6. O que gostarias de me perguntar.
Como fiquei curiosa com a pergunta e sei que também és uma ávida leitora como eu devolvo-te a pergunta: E tu? Já descobriste O livro?
 
Engraçado, começa hoje às 15h a publicação do desafio uma paixão chamada livros com o tema top 5 dos livros. Vão lá estar os cinco livros que mais amei até hoje (com alguma batota, vá, porque três dos casos são sagas, mas não digas nada a ninguém, pode ser que não se apercebam). Mas além desses cinco há mais um que adorei - A Biblioteca das Sombras e que me disse muito, mas mesmo muito.

No blog com... Ana Rita Garcia M. 🌼

Untitled.png

A autora do blog Conversas, Café & Sorrisos foi apanhada na curva, ai, perdão, no blog com... desta semana

Pus-me à total disposição da Magda e “toma lá morangos” aqui estou eu apanhada no blog.

Desde já o meu obrigada a ti Magda pelo convite, sinto-me muito lisonjeada por me deixares entrar neste teu cantinho e falar um bocadinho de mim.

Ora o que posso eu dizer sobre a minha pessoa?

Tenho 28 anos, sou a Ana - para os amigos e família do meu marido - e a Rita - para os meus amigos e família. Sim, é verdade, que grande confusão!

Mas já não me importo porque já me dou pelos dois nomes.

Sou alfacinha de gema e sou louca pelo meu bairro, São Vicente de Fora. Trago comigo as melhores recordações da minha vida e fui muito feliz a correr, e a espalhar-me ao comprido naquelas calçadas.

Ainda sou do tempo do escudo e das vacas gordas por isso tive uma infância confortável e (sendo filha única) bastante mimada.

Sempre fui uma rapariga de sorrisos e conversas fáceis - sou capaz de dizer uma enormidade de palavras por minuto – estou sempre a cantarolar e tento ter uma visão positiva da vida e das situações.

Tenho um feitio que ou me amam ou me odeiam porque digo tudo da boca para fora, as consequências penso nelas depois.

No que toca à vida doméstica sou organizada mas não sou maníaca das limpezas. Tenho a minha casa organizada e limpa (até porque tenho uma criança pequena a esponjar-se pelo chão) mas tento despender do máximo de tempo útil em casa para estar com o meu príncipe.

Gosto de cozinhar, e de inventar pratos a partir de receitas base. Todos os dias é uma aventura na cozinha!

Não gosto muito de fazer doces, não me sai bem.

Mas sou capaz de me levantar às 9h da manhã para começar a cozinhar.

A parte mais importante de mim é o meu filho que amo de todo o coração. Ele é a minha metade fora de mim.

Nele busco todos os dias a minha força para mais um dia de trabalho e de stress, porque sei que no fim do dia vou receber aquele abraço e aquele beijinho que tem o poder de curar o corpo e a alma.

Neste momento por falta de tempo não faço desporto mas, até há uns meses atrás praticava Airsoft. O contacto com a natureza, o convívio, as tácticas militares e as acções de caridade que fazíamos em prol de causas como animais, pessoas carenciadas, pessoas doentes, IPO eram aquilo que me impulsionava.

Mas depois da maternidade tive que fazer uma escolha tendo em conta que o Airsoft me ocupava todos os fins-de-semana, e a minha escolha foi óbvia.

Bem este é um bocadinho de mim, daquilo que eu sou e daquilo que me caracteriza como pessoa.

Magda, agora as perguntas são contigo...

  1. Deixada pela Rapariga do AutocarroQual o momento ou acontecimento que mais te marcou até hoje?

Sem dúvida nenhuma, o acontecimento mais marcante da minha vida foi o nascimento do meu filho. Tive-o de cesariana marcada, porque o Pikiko não deu a volta – o preguiçoso – e ficou sentadinho até ao dia em que saiu cá para fora.

Por muito que quisesse explicar por palavras, não conseguiria nunca descrever a sensação de o ver pela primeira vez, tão perfeitinho e tão pequenino.

É algo que marca a vida de uma mulher.

Senti que a pessoa que entrou dentro da sala de operações ficou lá para sempre. Sou uma mulher diferente, mais madura, mais ponderada, mais forte, e muito muito mãe galinha.

O momento todo em si foi calmo e descontraído. Pude ver o meu filho “sair de dentro da barriga” e (após ser cozida) pode segurá-lo nos meus braços e tocar-lhe. Aquele ser que eu tinha gerado 9 meses dentro de mim e que já amava tanto estava finalmente ali, a olhar para mim, com aqueles olhos ENOOOORMES, a boquinha a procurar desesperadamente o peito, as mãozinhas a tocarem-me.

Vejo este momento com todos os pormenores, como se tivesse acontecido agora. 

  1. Como te vês daqui a 10 anos?

Vejo-me uma mulher com 38 anos, um filho com quase 13 anos e (se a vida o permitir) mais um filho/a. Vejo-me com os meus objetivos principais concretizados – acabar a faculdade e conseguir um emprego melhor.

Vejo-me numa vivenda (nada muito grande) onde possa fazer umas churrascadas para a família e amigos aos fins-de-semana.

Vejo-me acima de tudo feliz e em paz com a vida e comigo mesma. 

  1. Que papel tem mais importância para ti: ser mãe ou ser mulher?

Acho que não existe uma sem a outra, não pode existir. Após o nascimento do meu filho esqueci-me por um período considerável de tempo que era uma mulher, que era nova, que havia mais para além de mudar fraldas, dar mama e embalar um bebé. Tive inclusive alguns problemas pessoais e matrimoniais porque passei a viver única e exclusivamente para o meu papel de mãe.

Engordei bastante durante a amamentação e comecei lentamente a entrar numa espiral descendente. Não me importava com o aspecto, não tinha vontade de ir às compras nem de me maquilhar (eu sempre fui vaidosa), sair de casa era um frete.

Até que um dia olhei para o espelho e vi, mas VI com olhos de ver, uma mulher de 27 anos com um ar desleixado, o cabelo sempre preso e mal penteado, roupas que não assentavam bem e uns quilinhos valentes a mais.

E perguntei-me “Onde é que anda a mulher dentro de ti Rita?” – e mudei!

Perdi peso, renovei o guarda-roupa (com muita calma), desenterrei a maquilhagem e os sapatos de saltos e fui à luta.

Hoje sou mãe – é o meu trabalho a full time – e mulher E ADORO! 

  1. Campo, praia ou cidade?

Campo: para relaxar depois de uma semana de stress – com os anos de convivência com o campo estou a começar a gostar daquilo – eu sempre vivi e fiz férias na cidade. 

Praia: para fazer férias – porque sou uma lula e preciso de fazer fotossíntese para ter uma cor (aceitável) tipo dois tons acima da lixivia. 

Cidade: para viver – sou uma cidadoólica, não me consigo imaginar a viver num sítio sossegado ou isolado sem 50 supermercados e muitas lojas À minha volta. 

  1. Sem saberes quem é a próxima convidada, que pergunta lhe deixas?

Se pudesses voltar o tempo atrás, qual a situação da tua vida que gostarias de alterar? 

  1. O que gostarias de me perguntar? 

Qual é tua principal regra de vida?

Optimismo, bom humor e um livro. Três coisas que são fundamentais. E nunca me arrepender daquilo que fiz porque tudo o que fiz até hoje faz com que eu seja quem sou. 

No blog com... A rapariga do autocarro

a rapariga.png

Hoje, No Blog com..., a Célia, também conhecida como A Rapariga do Autocarro

Fui eu inocentemente fazer um comentário a um post, e o que recebo em resposta, “olha que és a próxima”- Ups, meti-me logo em sentido! Mas vindo da Magda é um gosto imenso responder ao convite.

Quem é a Rapariga do autocarro? Tenho 43 anos, mas com um espírito que ainda anda pelos trinta, a bem dizer não me sinto nada mal com a idade! Afinal os quarenta são os novos 30!!!

Sempre fui e continuo uma pessoa tímida, o que muitas vezes é confundido por colegas como antipatia e arrogância, apenas gosto de não dar nas vistas, o que na verdade é uma contradição!

É que às vezes sinto-me uma Iris Apfel reprimida, com vontade de vestir a coisa mais extravagante que existe, mas logo a seguir tou a pensar – “toda a gente vai olhar para mim” é melhor levar aquele em cinzento!

Considero que a minha vida se define num antes e num depois, tal como antes e depois de Cristo, no meu caso é antes e depois de ser mãe. A gravidez foi dos períodos mais lindos da minha. Vivo intensamente a vida do meu pituxinho, apesar de ter acordado tarde para este instinto. Neste momento estou na descoberta duma nova atitude, depois de ter experimentado aulas de Pilates e de Yoga, fiquei fascinada por esta última. No meu caso no método Iyengar. Estou encantada com as mudanças que tenho reparado em mim, tanto a nível físico, como mental.

Não tenho jeitinho nenhum para a escrita, nem carta de pesados mas meti-me nesta coisa dos blogs vejam lá, uma bófia com a mania que quer ser blogger, e teimosamente não arredo pé, mesmo que por vezes o muito que consigo publicar é um post por semana.

1. Deixadas pela Chic'Ana. O que te levou a criar um blog, como escolheste o tema do mesmo e qual é o livro da tua vida? 

Se há coisa que não consigo fazer no autocarro é ler, fico cheia de náuseas, então como todos os dias ando de autocarro, um dia num regresso a casa lembrei-me de criar um blog onde pudesse partilhar alguns dos meus gostos, e o nome veio-me logo à cabeça! Mais depressa cheguei ao nome que aos conteúdos, é que não tenho um tema que predomine, abrange todo universo dos meus dias.

Por enquanto o livro que mais adoro é “ A sombra do Vento” de Carlos Ruiz Záfon.

2. Qual o balanço que fazes da Rapariga do Autocarro e porque esse nome?

Estou muito feliz com o resultado, claro que gostava de ser patrocinada pela Carris, mas isso é outro campeonato com árvores bem enraizadas, o meu blog é uma plantinha num Jardim imenso que é a nossa comunidade, não tenho a disponibilidade que gostaria, mas vou tentando regá-la e adubá-la sempre com carinho. O nome já viram que foi o mais fácil.

3. Usando a tua própria expressão, como vês o papel dos "bófias" na sociedade actual?

A Polícia tem cada vez mais um papel de proximidade com as populações, apesar do afastamento aparente que as pessoas demonstram, num aperto é a polícia que querem do do seu lado, e hoje temos muito mais de psicólogos que de “bruta montes”. Mas não tenho ilusões, os Governos insistem em não olhar para nós, e a desilusão é um estado de espírito demasiado presente à minha volta. (se vos disser que chego ao trabalho e não tenho um pc para trabalhar o que pensam disto?)

4. Qual o teu pior defeito enquanto leitora?

Querer ler vários livros ao mesmo tempo!!! É do pior, agora queres saber como o assassino vai ser apanhado, mas logo a seguir tens curiosidade para ver se a guerra entre os clãs vai avançar!! Oh indecisões!

5. Sem saberes quem é a próxima convidada, que pergunta lhe deixas?

Qual o momento ou acontecimento que mais te marcou até hoje?

6. O que gostarias de me perguntar?

Que livro gostarias de produzir e adaptar à tv ou ao cinema?

Apaixonei-me pela Biblioteca das Sombras e acho que seria um excelente livro para adaptar ao cinema (por acaso acho que está para ser adaptado mas pronto). A Alma das Pedras seria outra boa adaptação, sem dúvida.

No blog com... Chic'Ana

chic.png

A Chic'Ana aceitou o convite para aqui estar no no blog com por isso vamos ler o que ela nos conta

Esta rubrica para mim começa de uma maneira intempestiva, levei um valente puxão de orelhas por não ter e-mail no perfil e depois foram-me apresentadas duas escolhas: “basicamente, tens a hipótese de dizer que sim ou que sim”. Foi só a mim que esta afirmação pareceu bastante ameaçadora? Onde está a escolha? Pelo sim pelo não, vou guardar o e-mail religiosamente para a eventualidade de sofrer alguma represália.

Bom, agora que já me encontro salvaguardada, vamos a coisas sérias: Quem sou eu? Sou uma pessoa alegre e sonhadora essencialmente, recuso-me a ver a maldade e procuro a fração positiva de cada situação. Sou também bastante teimosa, reguila e curiosa, e acredito que a conjugação de todas estas características, contribuíram para que me transformasse numa autêntica caixinha de surpresas. Não consigo estar um pouquinho que seja quieta, e mesmo quando não estou em movimento, a minha mente encontra-se num turbilhão de pensamentos. Daí até à escrita do blog, foi um saltinho. Precisava mesmo de um espaço de partilha, um espaço onde podia ser eu própria sem restrições. Um espaço onde pudesse desabafar e contar as minhas aventuras, e este surgiu sob o nome de Chic’ Ana, pois venho de uma família de Ana’s e nada melhor que manter o meu porto seguro e acolhedor! Felizmente fui muito bem recebida neste mundo digital, tenho os melhores leitores que existem, que comentam, que interagem, que tornam este espaço tão agradável. É um espaço onde o sorriso é constante, um espaço onde sou Feliz!
Muito obrigada Magda por esta oportunidade, por me deixares invadir por momentos o teu espaço e fazer também parte dele.

1. Deixada pela Vanita - Que segredo guardas com mais carinho?
Senhora Vanita, tinha de ser a mim que me calhava a fava, como se costuma dizer! Felizmente não tenho nenhum segredo macabro, ou corria o sério risco de sofrer uma investigação policial!
A minha vida é como se fosse um livro aberto, e as minhas reações são tão espontâneas que dificilmente consigo mentir ou sequer omitir o que quer que seja. Mas, falando do segredo e tentando responder à questão: Ainda mantenho o blog secreto para a maior parte dos meus familiares, amigos e conhecidos, isto porque o M teve o prazer de ir anunciando a todos os convidados lá de casa em género de cumprimento: “Olá, já viram no que a Ana se meteu agora? Ela tem um blog!”. Mesmo com a minha cara de poucos amigos, ele não aprendeu a lição nem à primeira, nem à segunda, portanto vamos ver por quanto tempo mais continua a ser um segredo que guardo com imenso carinho! Contudo, qualquer pessoa que tenha partilhado uma das muitas aventuras que conto no blog facilmente identifica a sua autora.
 
2. Qual é o papel que o humor tem na tua vida?
Desempenha sem dúvida um papel muito importante, a par da minha família, dos meus amigos. Acho que o humor deve estar presente sempre que seja possível e adequado. Tem o condão de transformar situações caricatas e difíceis em algo muito mais fácil de suportar e até mesmo em momentos de alegria, que nos divertem não apenas a nós, mas também a quem nos rodeia. E já se sabe: “A Smile a Day Keeps the Doctor Away"
 
3. Como ocupas os teus tempos livres?
Os meus tempos livres são ocupados de diversas formas. Em primeiro lugar, o convívio, seja com familiares, seja com amigos, constituindo uma parte fulcral da minha vida. Depois o blog, que me encanta a cada dia, pela troca de experiências, pelos sorrisos partilhados. Adoro ouvir música, adoro ler, sendo que não consigo adormecer sem ler uma página ou duas. Desde pequenina que sempre fui estimulada a ler, e desenvolvi um gosto pelos livros em papel, fora do comum. Para finalizar, uma das minhas paixões é a água, e tudo o que ela envolva, nomeadamente, o mar, rios e piscina. Todas as semanas tenho de nadar, é algo que me faz sentir livre, acalma o espírito, para além de todos os benefícios físicos que proporciona.
 
4. O que mais te atrai noutros blogs?
Gosto de blogs que tenham um bom conteúdo, que estejam bem escritos e com um visual apelativo. Acompanho vários blogs de diversos temas: desde a atualidade, ao gosto literário, passando por blogs com sentido de humor, pessoais e de viagens. Também gosto de dar uma espreitadela nas novas tendências.
Mas o que mais me atrai num blog é o seu autor ou autora. Gosto de desenvolver uma relação próxima, quase de amizade, e de me sentir acolhida nos espacinhos que frequento. Gosto de transformar os comentários como se de uma conversa se tratassem. Valorizo imenso quem é espontâneo e envolvente para os seus leitores e isto para mim é um dom natural que deve ser enaltecido.
 
5.  Sem saberes quem é a próxima convidada, que pergunta lhe deixas.
Ao próximo convidado …  não lanço uma pergunta mas duas, geralmente tenho sempre imensa curiosidade em saber:

  1. O que o levou a criar um blog e como escolheu o tema do mesmo.
  2. Qual o livro da sua vida?

 
6. Que gostarias de me perguntar?
A ti, Magda, e para finalizarmos esta conversa com um sorriso nos lábios, desafio-te a contares o episódio mais divertido que já viveste por causa de um livro! Muito obrigada por este bocadinho. Adorei!

 

E de repente, assim do nada, ouço três pessoas aos gritos lá em casa:

foge, a casa está a arder!

dizia um

é um apocalipse zombie

dizia o outro

fujaaaammmm

dizia o terceiro

Sarapantada levantei os olhos do livro que estou a ler e vejo os três - marido e filhos - a rir à gargalhada e lá me explicam que estavam a chamar-me à imenso tempo e que eu não lhes liguei nenhuma...

Esta terá sido, nos últimos tempos, a cena mais hilariante que se passou comigo enquanto lia. Foi nas férias do ano passado. O jantar estava pronto - o marido tinha estado a grelhar a carne - a mesa posta... e eu a ler sem ligar nenhuma ao que se passava à volta. O que é normalissimo porque eu, quando estou a ler, desligo completamente do exterior.

Aliás, precisamente por me desligar... há dois anos estava a ler um livro no metro e, de repente, alguem me toca no ombro e diz: estamos na última estação. Nada de grave... não fosse eu querer sair na estação anterior...

No blog com... Vanita

caixa.png

Para o primeiro No Blog Com... temos a Vanita, autora dos blogs caixa dos segredos e máquina de escrever

 

Quem é a Vanita? A Vanita é o nome onde me escondo e onde mais me revelo. Aqui sou sem medidas mas não me dou a conhecer à primeira. Sou a menina que queria ser jornalista, arqueóloga, fotógrafa, advogada, secretária e telefonista, a jovem que perseguiu esses sonhos e que hoje olha para o espelho e ainda se vê com o tamanho de todos esses sonhos. Sou a menina que nunca soube brincar mas que ainda se perde num universo que só existe na sua cabeça, tanta vezes melhor que o mundo lá fora. Quem sou eu? Sou o livro aberto que se lê no meu blog.

 

1. Deixada pelo Pedro Neves - Gosto muito de aprender (e às vezes rir) com os erros dos outros, por isso perguntaria qual é o erro mais caro que já fez.
Ora bolas! Quando li a entrevista do Pedro, pensei logo que esta era uma pergunta tramada. Tinha de me calhar. Não sou muito de me arrepender de coisas feitas, pelo que, tendo a aceitar os erros como aprendizagens e fazer deles mais-valias. Ainda assim, a ter de salientar um erro, diria que o maior erro da minha vida - ou o mais caro - foi acreditar sempre que os outros nunca seriam capazes de fazer algo que eu própria não fizesse também. Ver os outros à minha semelhança foi um erro que me desgostou em uma ou outra situação, mas também me fez crescer e, por isso, só tenho a agradecer.
 
2. Primeira semana de 2016. Que expectativas tens para o ano que agora se inicia?
Ano novo em folha, tudo em branco. Angustia-me a ideia de não saber o que o futuro reserva, mais porque sou pessimista por natureza e temo sempre as piores notícias e reviravoltas que a vida nos pode trazer. Para 2016 quero saúde - sempre! -, amor e muitos desafios profissionais e pessoais que me obriguem a dar o melhor de mim. Gosto sempre de me superar. Que 2016, ano bissexto, seja um ano de superação.
 
3. Livros. Em papel ou formato digital?
Papel, sem dúvida. Apesar de ainda não ter lido um livro que seja em formato e-book, pisco-lhes o olho e acredito que o farei mais dia, menos dia. Mas nada bate o papel. É como os jornais, a Internet só lhes ganha porque está mais à mão, mas é no papel que realmente confiamos. O mesmo se passa com os livros.
 
4. Qual o balanço que fazes dos teus blogs?
Há muitos anos que só tenho a Caixa dos Segredos. Tive outros, nos primórdios da blogosfera, mas fiquei por aqui e gosto de cá estar. Este é um blog intimista, que cresceu comigo. Há muita imaturidade em textos mais antigos, mas funciona como um diário, um espaço que é como uma extensão de mim, sem pretensões de fama ou grande divulgação, mas que se mantém, umas vezes mais activo, outras menos. É uma presença constante na minha vida, já quase com dez anos, onde me descubro e perco tantas vezes. Gosto muito de alguns textos inspirados que andam por aí, perdidos no histórico. Gosto de me rever neles. É como viajar no meu passado e é mesmo isso que a Caixa dos Segredos representa para mim. Não sou a blogger mais convencional do mundo, não quero ser famosa.
 
5. Sem saberes quem é o próximo convidado, que pergunta lhe deixas?
Que segredo guardas com mais carinho?
 
6. O que gostarias de me perguntar?
Que livro gostarias de ter escrito?
 
Apaixonei-me pela A sombra do vento porque é dos poucos livros que consegue descrever, em vários excertos, a paixão que tenho pelos livros e pela leitura. Sim, gostava de ter sido eu a escrever este fantástico livro, sem dúvida.

No blog com... Pedro Neves

sapoblogs.jpg

Hoje, No blog com... e para terminar o ano de 2015, trago-vos o Pedro Neves, a cara mais conhecida da equipa do Sapo Blogs e autor do blog Horizonte Artificial


Fazer um selfie por escrito é bem mais difícil do que com a máquina fotográfica, mas um bom resumo meu passa por dizer que sou um leitor diário de blogs e alguém que encara a escrita diarística como um exercício de auto-distanciamento que nos ajuda, por um lado, a ganhar distanciamento em relação a nós próprios e, por outro, proximidade em relação aos outros. Cada um tem um ponto de vista único e a blogosfera é um excelente ponto de encontro para todos esses diferentes olhares, uma espécie de feira de domingo, onde podemos espreitar, comparar e aprender com os pontos de vista dos outros. Por acreditar nesse poder da comunicação, estudei jornalismo na faculdade, e faço parte, há quase nove anos, da equipa do SAPO Blogs. Há alguns anos, voltei a ler mais offline (umas coisas chamadas livros, que me parece que a Magda tem às montanhas) e hoje em dia posso ser encontrado a frequentar bibliotecas ou a correr junto ao Tejo, duas das minhas coisas preferidas.

1. Deixada pela Mula - Qual é a resolução de ano novo que tens vindo a adiar há vários anos?

Todos os anos costumo escolher alguns verbos que quero "conjugar" mais nos próximos 12 meses (correr, ler, etc). "Aprender" é aquele que tem ficado mais para trás e espero em 2016 ser capaz de fazer mais nessa frente (seja aprender uma língua, habilidade ou até, quem sabe, voltar a estudar).

2. O melhor de 2015: livro, viagem, série televisiva, filme e teatro?

Livro: "Vai e põe uma sentinela", de Harper Lee, pela história que envolve o próprio livro (escrito nos anos 50, descoberto e publicado agora) e por ser a base de um clássico muito querido para muitos leitores à volta do mundo, o "Não matem a cotovia".
Viagem: Sem dúvida alguma, a melhor viagem foi ter feito o Trilho dos Pescadores, na costa do sudoeste alentejano, que recomendo a qualquer pessoa.
Série televisiva: este ano não acompanhei séries de televisão, pelo que na televisão teria de destacar o novo talkshow do Stephen Colbert, que ironicamente acompanho pelo Youtube.
Filme: pouco cinema também, mas apreciei "Ex Machina", de Alex Garland, uma história de ficção científica com algumas nuances interessantes.
Teatro: a trilogia "Ifigénia, Agamémnon e Electra", de Tiago Rodrigues, no Teatro Dona Maria II, que me levou ao teatro três semanas seguidas.

3. Nove anos depois, quais as diferenças que encontras nos blogs?

Há alguns anos, blog ainda soava a estrangeirismo e a moda. Hoje, as pessoas pensam em criar um blog para partilhar o seu dia-a-dia ou uma experiência nova (como uma viagem ou um projeto) como algo absolutamente natural, como um formato que os outros vão reconhecer e perceber como leitores. Talvez seja a diferença que mais noto.

4. É o grande pomo de discórdia no sapoblogs. Os destaques. Está bem explicado neste post como é que fazem os destaques. Mas penso que falta enquadrar uma informação. Quantos blogs activos existem, neste momento, no Sapo e quantos posts são colocados por dia (uma média, claro).

No SAPO, há milhares de autores a publicar algo num blog (diariamente, podemos ter quatro mil posts publicados), seja uma receita milagrosa de como fazer um bolo de chocolate em três minutos e sem sujar loiça ou uma história muito boa que nos faz rir ou sentir próximos de quem a escreveu. Quando temos sorte, cruzamo-nos com algumas delas na equipa, e destacamo-las. Mas por cada uma que apanhamos, há muitas outras que, infelizmente, a equipa não consegue ler. Não chegam a nós, mas nem por isso deixam, felizmente, de chegar aos leitores habituais desses blogs e outros que passeiam pela blogosfera. O importante, para nós, é oferecer um espaço onde todos se sintam confortáveis a partilhar com o mundo as suas ideias e histórias. De resto, temos uma atitude muito aberta e humilde em relação ao trabalho que fazemos com os destaques.

5. Sem saber quem é o próximo convidado, que pergunta lhe deixas?

Gosto muito de aprender (e às vezes rir) com os erros dos outros, por isso perguntaria qual é o erro mais caro que já fez.

6. O que gostarias de me perguntar?

Como é a última pergunta, aproveito para agradecer o convite e a curiosidade sobre mim :) Pergunto à Magda onde é que o amor pelos livros a pode levar em 2016... algum projeto novo em vista? Alguma ideia a germinar?

Eu sempre gostava de saber onde vão buscar a ideia que tenho muitos livros...  (e que ninguém da minha casa leia isto senão obrigam-me a contar os livros...).

Para 2016 quero ler novos autores. Conhecer outras formas de contar histórias. Quero continuar a sair da minha zona de conforto (leia-se autores que já conheço). Este ano, 2015, fiz isso e sai a ganhar, li livros fantásticos de autores que nunca tinha lido. Foi, aliás, uma das razões para me inscrever no Livro secreto que a M.J. organizou. E quero continuar com as leituras conjuntas com o Clube das Pistosgas, a Miss F e quem mais se queira juntar a nós.

Ler, só por si, é sempre um projecto novo, por tudo o que um livro nos traz.

 

No Blog com... Mula

mula.png

Hoje foi a nossa querida Mula que aceitou o desafio de participar No Blog Com...

Ora sobre mim... Sou uma jovem de 27 anos a caminho dos 28, que se sente, no mínimo com uns 35, talvez devido a não fazer o que gosto, nem aquilo para o qual estudei. A vida é sempre mais pesarosa quando não se faz o que se gosta... Para compensar a profissão, tento, sempre que possível fazer o que amo, como hobbie. Adoro fotografar, ouvir música, ler... e como não poderia deixar de ser: escrever. Criei o blog como um escape quando fui recusada no mestrado que tanto desejava. Apesar de tudo, tento levar a vida sempre com um sorriso no rosto, quando o sorriso já lá não está, é porque algo de muito mau aconteceu. Sou sincera, demasiado sincera por vezes... e isso às vezes traz-me alguns dissabores, mas a verdade é que comigo podem sempre contar, porque quando gosto mesmo de alguém, vou até ao fim do mundo e até danço o samba em cuecas se for preciso -  e olha que não sei dançar, por isso olha lá as figurinhas. Quando não gosto... isso também se nota, não sou pessoa de fazer jeitinhos para ficar bem na fotografia. No fundo é isto, sou só uma miúda com mau feitio mas com bom carácter e com os valores bem definidos.

  1. Deixada pela PNLima - qual a tradição de Natal que não dispensas?

Sou uma grande comilona, muito, muito gulosa, por isso desde que tenha pão de ló e queijo da serra, podem colocar-me o que quiserem à frente que eu como e não reclamo tradições... Agora, acho que a única tradição pela qual me pelo, literalmente, todos os anos, é ter a família toda reunida sem stresses nem discussões. Porque infelizmente existem duas famílias que todos os anos puxam as brasas às suas sardinhas e isso gera sempre alguma discussão, e isso chateia-me muito! De resto, ao nível das tradições gastronómicas... não comemos bacalhau cozido porque não gostamos, comemos normalmente bacalhau com broa, e pronto, se houver o tal pão de ló, o tal queijo e as farófias da minha mãe, sou uma mulher feliz, mas se não houver dinheiro para nada disto, reunir a família à volta da mesa para mim é o mais importante. 

  1. Porquê Mula?

Mula porque tenho mau feitio e sou terrivelmente teimosa e um tanto ou quanto orgulhosa, e era o nome extremamente carinhoso (not) pelo qual o Mulo me chamava quando o contrariava. Um dia, numa espécie de Grito do Ipiranga, criei um blog noutras bandas, que não durou sequer um mês com o nome de Desabafos da Mula, que decidi ressuscitar no sapo, por motivos muito diferentes. Já não o uso apenas como um diário online (como era o propósito do anterior), mas para satisfazer as minhas necessidades de escrita e como um escape para o dia-a-dia, que é por vezes demasiado pesado. 

  1. 20 graus em Dezembro. O Natal para ti é assim, com temperatura amena ou preferes um Natal gelado?

Prefiro um Natal mais quentinho, e à parte dos motivos que levam as estas temperaturas anormais - porque é acima de tudo um problema ambiental, e isso assusta-me -, confesso que preferia ter uma temperatura amena e constante todo o ano, mesmo que isso implicasse perder o verão. Não me dou bem com os dois extremos das temperaturas: no verão tenho com alguma frequência quebras de tensão, e sinto-me mal com o excesso de calor, no inverno sou muito friolenta (como diz a minha prima) e passo horrores. A verdade é que trabalho numa arca frigorífica disfarçada de loja, e no inverno rigoroso 3/4 camisolas não me chegam para eu me sentir quente... Agora... Natal que é Natal, tem de ser passado à lareira, mas isso é independente da temperatura que faça lá fora! 

  1. qual é o balanço que fazes do teu blog?

Muito positivo! Quando fui recusada no mestrado de Economia e Gestão de Recursos Humanos, senti que ia enlouquecer porque precisava de me sentir novamente ativa, e para mim estudar seria uma forma de me manter ativa e com a sanidade mental no lugar. Sempre adorei escrever, e embora um mestrado e um blog não tenham nada que ver um com o outro, a criação do blog veio um pouco da necessidade de fazer qualquer coisa de diferente, de arranjar um escape para os stresses do dia-a-dia, no fundo para suprimir uma falta. No entanto, julguei que tal como o outro blog, que fosse ser algo que não duraria mais de um mês, que seria um blog que ninguém leria. Longe de mim imaginar que neste momento teria 127 pessoas loucas - no bom sentido claro - a seguirem uma pessoa completamente desequilibrada que só - vá... não é só, mas também - escreve parvoíces... E... estou a adorar a experiência, e espero ficar por cá por muitos e longos anos, até porque acima de tudo, estou a conhecer pessoas maravilhosas, que se espalham por todo o país, e que de outra forma não as conheceria. 

  1. Sem saberes quem é a próxima convidada, que pergunta lhe deixas?

Qual é a resolução de ano novo que tens vindo a adiar há vários anos? 

  1. O que gostarias de me perguntar?
    O que é que não pode faltar num livro, para captar a tua atenção?

Uma boa sinopse ou uma boa recomendação são o primeiro passo para que o livro me interesse. Depois folheio as páginas e a escrita tem de ser atraente. A história e as personagens vem a seguir e, por fim, as surpresas. Adoro um livro que me surpreenda, que tenha reviravoltas, que me faça pensar.