Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Stone Art

Coisas soltas da vida que povoam o meu quotidiano. Sem amarguras nem fatalismos, com aceitação, simplicidade, ironia e alegria. Sejam bem vindos a esta minha casa.

Rendi-me!

Não dada a modas e isso percebe-se:

- nas roupas que uso (até porque cheiinha como sou, estou sujeita ao que há para o meu tamanho e não aquilo que gosto)

nos livros que leio (leio o que gosto e não porque determinado livro está no top de vendas)

- nos sapatos que uso (com os problemas que tenho nos pés, usar sapatos confortáveis é bem melhor que usar sapatos modernos)

- no telemóvel que uso (Windows phone! contam-se pelos dedos os que o usam)

E sou preguiçosa. Detesto ginásios, suor (só falta mesmo o sangue e as lágrimas). 

Mas gosto de andar a pé, apesar de que, com os problemas nos pés, tenho andado cada vez menos e com o excesso de peso e falta de vontade... bom, tenho estado transformada em quase lontra de sofá (mais ou menos com o mesmo peso!)

Ora quando o Pokémon Go chegou à nossa santa terrinha, claro que os meus filhos o instalaram. E desafiaram-me para fazer o mesmo. Não quis. Andar a apanhar gambozinos não era a minha ideia de divertimento. Além disso, a aplicação não está disponível para os Lumia e portanto, assunto resolvido.

Depois comecei a ouvir as boas histórias relacionadas com este jogo. A criança autista que, por causa do jogo, começou a falar com outras pessoas e a sair da rotina (confesso que esta história é a melhor de todas). Mas também há histórias de pessoas com depressão que começaram a sair de casa e a interagir com outros, pessoas com excesso de peso que começaram, com o jogo, a andar a pé; jovens e velhos a conviver entre eles; pais e filhos a jogar em conjunto. Canis a convidarem os jogadores a levar os cães a passear enquanto jogam 

pokemon-go-13-838x507.png

E então percebi que sim, se calhar esta era uma moda que me podia realmente ajudar a voltar a andar a pé e a exercitar-me um pouco. Até talvez perder alguns dos quilos que tenho a mais. 

Mas como a aplicação não está disponível para os Lumia, pronto, tive de ceder noutro ponto. Comprei um telemóvel Android 4.4 ao qual vou ter de me habituar à força para poder jogar.

Ontem lá fui, à noitinha, apanhar gambozinos. Ai, perdão, Pokemons. Este foi o terceiro que apanhei! nada mau, hein?

13912478_10154497775364636_4536534174345302056_n.j

 

Hoje de manhã sai de casa mais cedo e fui a pé até à paragem seguinte. Não é muito, é verdade, mas é um primeiro passo. E as grandes caminhadas começam sempre da mesma maneira - com o primeiro passo.

Olhem lá os meus gambozinos e os seus ovos! Ainda não percebi bem o que fazer com eles mas acredito que isso será a segunda fase (ainda nem sequer percebi bem como desligar as aplicações sem ter de desligar o telemóvel novo mas adiante!).

c8488270-0a34-4c52-9017-f5a29dce32ca.jpg

E, claro está, nenhuma caça aos gambozinos pode ser feita sem alguns cuidados de segurança Aqui estão eles:

vip-pt-20879-noticia-tecnologia-o-manual-da-psp-pa

É claro que, quando for dar passeios maiores (ou com mais tempo) haverá sempre um livro na mochila. Para os momentos de descanso entre duas caminhadas.