Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Stone Art

Coisas soltas da vida que povoam o meu quotidiano. Sem amarguras nem fatalismos, com aceitação, simplicidade, ironia e alegria. Sejam bem vindos a esta minha casa.

Eleanor & Park

capa eleanor.png

Eleanor & Park de Rainbow Rowell

Editado em 2015 pelas Edições Chá das Cinco

ISBN: 9789897101229

 

Sinopse

Dois inadaptados. Um amor extraordinário. Eleanor... é uma miúda nova na escola, vinda de outra cidade. A sua vida familiar é um caos; sendo roliça e ruiva, e com a sua forma estranha de vestir, atrai a atenção de todos em seu redor, nem sempre pelos melhores motivos. Park... é um rapaz meio coreano. Não é propriamente popular, mas vestido de negro e sempre isolado nos seus fones e livros, conseguiu tornar-se invisível. Tudo começa a mudar quando Park aceita que Eleanor se sente ao seu lado no autocarro da escola. A princípio nem sequer se falam, mas pouco a pouco nasce uma genuína relação de amizade e cumplicidade que mudará as suas vidas. E contra o mundo, o amor aparece. Porque o amor é um superpoder.

 

A minha opinião

Depois de ter lido a opinião da Just sobre este livro e dela me ter dito Acho que vais gostar, é leve :) eu decidi que tinha mesmo de o ler. Parei, por momentos, as distopias que estava a ler (antes de pegar em mais duas, Maze Runner e 1984) e li este livro. Duma penada. Porque é assim que se lê este livro. Com a pressa natural de saber o fim, o destino de cada uma das personagens mas, acima de tudo, se o amor delas resiste a tudo.

Eleanor é a Ruiva Gorda, a nova aluna da escola. Logo que entra, a primeira vez no autocarro da escola, começa a ser gozada pelos restantes alunos e ninguém a quer sentada ao seu lado. Park, que tem um lugar vago ao seu lado, começa por pensar em não a deixar sentar mas depois percebe que ela não pode ir em pé a viagem toda e acaba por a convidar a sentar.

As primeiras viagens feitas ao lado um do outro começam a ser feitas em silêncio mas quando Park percebe que Eleanor está a ler o seu livro por cima do ombro dele, começa a demorar mais tempo para passar a página para ter a certeza que ela leu a página completa. É assim, aos poucos e muito devagar, que o amor entre os dois começa a nascer. Um amor intenso, aceite, com alguma dificuldade pela mãe de Park e desconhecido da mãe de Eleanor – ela própria a braços com uma relação muito complicada com o padrasto de Eleanor, um homem bruto e violento.

Escrito a dois tempos, o de Eleanor e o de Park, este livro leva-nos à adolescência, em que tudo é vivido com intensidade, em que as dúvidas e as certezas se atropelam e nos baralham. Em que os super heróis podemos ser nós próprios e em que a capacidade de amar começa a dar os seus primeiros passos.

Creio que é uma autora a seguir.