Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Stone Art

Coisas soltas da vida que povoam o meu quotidiano. Sem amarguras nem fatalismos, com aceitação, simplicidade, ironia e alegria. Sejam bem vindos a esta minha casa.

Veterinários pedem incentivos fiscais para quem tem animais de estimação

481142.png

De acordo com a notícia avançada pelo I, a Ordem dos Médicos Veterinários (OMV) apelou esta quarta-feira à criação de incentivos fiscais para quem tem animais domésticos, como a possibilidade de deduzir despesas de saúde no IRS, de forma a evitar abandonos ou riscos para a saúde pública.

Não podia concordar mais. Os animais fazem parte da nossa família e temos a obrigação de cuidar deles sempre, Na saúde e na doença.

Mas não só porque é nossa obrigação enquanto donos mas também porque a própria lei nos obriga a tal.

Ele é o chip que custa cerca de 40 euros. A vacina antirrábica que são mais 30 ou 40. Depois o registo na junta de freguesia, mais 20 ou 30. A seguir a vacina disto que tem três tomas em três meses e que cada uma custa 50. E ainda a protecção daquilo. A pipeta para não haver pulgas ou caraças, a castração/esterilização porque já há bastantes cães abandonados não são precisos mais. A desparasitação de três em três meses, e vá lá, mais uma vacina que vai ter aulas básicas de obediência e precisa de mais esta. E mais aquela porque queremos o melhor para eles.

E isto tudo se for saudável e não tiver qualquer acidente/doença ou maleita.

Porque se for alérgico – e há cães e gatos que o são – é mais a medicação para as alergias. Se tiver problemas de estomago é mais a comida especial. Se precisar de cálcio é mais isto, se for outra a doença é mais aquilo. Se for atropelado ou comer um bem-uh-ron e que tenha de fazer um tratamento especial é mais esse custo.

É tudo a somar e, leia-se por somar e bem. E se, por acaso, for mais que um animal em casa, soma-se e multiplica-se. Da mesma maneira que, obviamente, se soma e multiplica a alegria que sentimos com eles e o amor que partilhamos, as despesas também se somam e multiplicam. Tudo – alegrias, tristezas e despesas – somam e multiplicam.

Por isso, sim! Sem dúvida. Era uma boa ajuda para as famílias se, de alguma forma, pudéssemos por algumas dessas despesas no IRS. Pelo menos as que são de caracter obrigatório!

 

E agora que sabem a minha opinião, espreitem aqui porque é que a Nice não concorda com isto

14 comentários

Comentar