Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Como se livrar duma filha... #6

por Magda L Pais, em 17.10.18

estudar-na-inglaterra.jpg

Antes de vos contar qual foi a decisão da Maggie, falo-vos de algumas questões que nos preocuparam a todos logo de inicio:

Então e os estudantes portugueses conseguem as mesmas condições que os estudantes ingleses:

Claramente sim. Todos os estudantes da União Europeia que estejam a estudar (ou pretendam estudar) no Reino Unido têm os mesmos direitos e deveres dos estudantes ingleses. A única diferença é que tem de provar os seus conhecimentos da língua inglesa. 

Quais os requisitos de idade?

Desde que nunca tenham frequentado a universidade em lado algum  (cada ano frequentado numa Universidade representa menos um ano de Financiamento), tenham mais de 16 anos e menos de 60, façam a vocês próprios o favor de irem.

Contas bancárias, trabalho, saúde. Como funciona?

A partir do momento em que está a estudar lá pode fazer tudo isto. E, se estiver doente, tem acesso ao sistema de saúde inglês. Claro que, inicialmente, o ideal é pedir, cá, o cartão europeu de saúde para poder usar enquanto não tiver a documentação em ordem (demora mais ou menos um mês/mês e meio a estar inscrito no sistema de saúde inglês). Os estudantes estrangeiros têm direito à Segurança Social local – Nacional Insurance Number – razão pela qual podem usufruir do serviço e podem trabalhar

Se o aluno decidir ir para outro país trabalhar, como funciona o pagamento das propinas ao estado?

O Aluno fica obrigado a apresentar prova do seu rendimento - em qualquer país do mundo ou arredores - ao estado inglês e os cálculos são feitos da mesma forma.

E se não gostar do curso/universidade, pode mudar?

O Foundtation year só é válido para a universidade onde é feito. Mas no final do curso pode sempre ir fazer uma especialização noutra universidade. Atendendo ao que virá depois do Brexit, não convirá mudar de Universidade durante a licenciatura.

Last but not least, e o Brexit?

Esta era a nossa maior preocupação mas, aparentemente e pelo menos por enquanto, passou a uma não questão. Correndo como previsto até agora, a Inglaterra sai da União Europeia em Março de 2019 mas o tratado inclui uma cláusula que determina que os estudantes europeus que se iniciem a frequência das universidades em Setembro de 2019 tem acesso a estudar em Inglaterra nas mesmas condições que até aqui.

Ouve-se falar, mas ainda não é garantido, que várias universidades inglesas estão a reunir para tentar criar uma espécie de fundo que permita aos estudantes europeus a frequência dos seus cursos nas mesmas condições que até aqui. Para já é prematuro dizer o que vai acontecer depois de Setembro de 2019. 

Amanhã cá estarei de novo para vos contar o que a gaiata decidiu.

Toda a história de como me vou livrar da minha filha aqui

May we meet again

 Que esperam para me acompanhar no facebook e no instagram?

Conhecem o meu blog sobre livros?

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor








Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.