Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Desafio da escrita dos Pássaros #4

A Beatriz disse não. E agora?

por Magda L Pais, em 04.10.19

Alguém me pode explicar quem é que se lembrou destes temas?

A Beatriz é uma moça gira. Ou pelo menos assim lhe dizem. Com algum peso a mais, nada de extraordinário. Okey, talvez devesse ter uns 40 quilos a menos mas também não é nenhum hipopótamo ou elefante. Beatriz, além de gordinha, tem claustrofobia. Em tempos nem de metro conseguia andar. E quando entrava num elevador, suava as estopinhas todas.

Agora já consegue andar de metro. E de elevador aprendeu – com a paciência de alguns amigos – que pode andar em segurança que, para o elevador cair, é preciso que falhem vários sistemas de segurança. Venceu estes dois medos mas, ultimamente, descobriu outro.

Aqui há uns anos fez uma ressonância magnética à coxa direita. Não achou muita piada à máquina mas como ficou com a cabeça de fora, aguentou-se bem. Quer dizer, teve alguns problemas para fazer a ressonância porque não cabia nas máquinas. Aliás, num dos locais, quase que nem cabia dentro do gabinete onde era para mudar de roupa. E o não caber não era bem porque fosse gorda mas porque a largura dos ombros era superior à largura do gabinete (desconfia, a Beatriz, que eram gabinetes próprios para liliputianos…).

Aqui há um mês, a Beatriz foi fazer nova ressonância magnética, desta vez à bacia. Um palmo mais acima e a cabeça tinha de ficar dentro da máquina. Foi ai que Beatriz disse um redondo Não! E agora, perguntou a família e os amigos.

Beatriz, com aquele mau feitio e maturidade que se lhe conhece, esteve a um palmo de responder: e agora mijas na mão e deitas fora .

Só que realmente precisa de fazer a RM. E portanto Beatriz andou a ligar para várias clinicas a perguntar se faziam o exame com anestesia ou sedação. E recebeu vários nãos como resposta. E agora, Beatriz? O marido, simpático como ele só, sugeriu: vou contigo, levo um martelo e pronto. Antes de fazeres o exame, levas uma martelada na cabeça. Isso é que não, disse Beatriz, que é coisa para doer mais que a agulha do soro para me darem a anestesia (é que a Beatriz tem pavor de agulhas).

Finalmente descobriu um sítio onde fazem a RM com sedação. E veio o problema seguinte: será que cabia na máquina? Sim, disseram à Beatriz. E agora?

E agora, vitória, vitória, acabou-se a história.

(a Beatriz está cada vez mais madura, não está?)

May we meet again

Texto de participação no desafio de escrita dos Pássaros

Os Sapos do Ano 2019 estão ai

 Que esperam para me acompanhar no facebook e no instagram?

Conhecem o meu blog sobre livros?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


1 comentário

Imagem de perfil

A Caracol a 04.10.2019

Sempre madura, a Beatriz. ❤️ Posso jurar que a conheço de algum lado... Não estou bem a ver é d'aonde. 🤷 


PS- não sei quem fez o temas. Juro que não sei. 🙄

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Mais sobre mim

foto do autor








Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.