Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]


E os direitos dos mais altos e dos mais pesados?

por Magda L Pais, em 30.10.14

Já falei aqui do meu excesso de peso. Apesar de ser alta (mas, mesmo assim, sou a mais baixa lá de casa), de facto devia perder uns quilinhos que tenho a mais. O meu maridão “sofre” do mesmo mal. Ainda é o mais alto da casa – seguido de perto pela nossa filha de 13 anos – mas sempre são 1.92 metros. E também tem excesso de peso.

Hoje, mais uma vez, concluímos que Portugal não está preparado para quem está fora da normalidade. No caso do meu Miguel, pela altura e pelo peso.

Hoje fomos os dois ao Hospital da Luz porque o rapaz ia fazer um exame médico. Vou deixar que sejam as palavras que ele escreveu no facebook, a contar o que se passou:

E eis senão quando, um gajo decide tratar-se, ou pelo menos perceber o que tem de tratar e descobre que não o pode fazer... e esta? Começou logo mal quando chegou a hora de vestir uma daquelas ridículas batas que ficou que nem a camisa do Hulk no dia que descobre que tem de pagar o IMI, logo a seguir vem o médico informar que não podem fazer o exame porque a máquina não tem capacidade, não aguenta, é pequena...

Poderia ser cómico, não fosse o facto de que ele precisa mesmo de fazer o exame. Mas não o pode fazer porque não cabe na máquina…

Quando vai ao médico medir a tensão… outro sarilho. Sobra braço depois de acabar a braçadeira da maior parte dos aparelhos. E nem sempre os médicos (principalmente nos hospitais e centros de saúde) têm os extensores.

Compra de roupa para nós – é de fugir. Só encontramos em algumas lojas e muita dela é feia, sem gosto algum, caríssima. Será que, por sermos maiores (em peso e altura) que a normalidade, não temos direito a nos vestir com gosto?

Sapatos, idem. Bom, aqui eu não tenho esse problema, calço o 39, arranjo bem. Mas a minha filha, que calça o 43, é uma encrenca. A maior parte dos lojistas fica a olhar para nós com ar de estarmos a pedir um sapato em ouro. E o meu filho, que calça o 45 (sim, leram bem, calça o 45 com 11 anos), tem o mesmo problema.

Estes são só alguns dos exemplos das dificuldades com que os gordinhos e granditos se deparam no dia-a-dia. Será que é só entre homem e mulher que é necessário garantir a igualdade? Então e os mais altos e mais fortes? Não terão os mesmos direitos dos “normais”?

Autoria e outros dados (tags, etc)


3 comentários

Imagem de perfil

De Nathy ღ a 30.10.2014 às 15:03

Julgava eu que o acesso à saúde era um dado adquirido. Enfim há coisas que me ultrapassam.


Magda Maria onde foste arranjar uns filhos tão grandes?! dá-me um pouco dessa altura :D
Imagem de perfil

De Magda L Pais a 30.10.2014 às 15:06

em Portugal só o pessoal com estatura normal tem acesso aos exames médicos, pelos vistos... confesso que não me passava pela cabeça esta situação se não a estivesse a viver.


Bom.. os miudos. como viste, o pai é grande. Eu tenho 1.74 m. os gaiatos nasceram com tamanhos normais (FELIZMENTE). Mas depois... começaram a crescer, a crescer, a crescer (ou a medrar como dizia a minha avó...) e pronto. Eu sou a mais baixa lá de casa...
Imagem de perfil

De Nathy ღ a 30.10.2014 às 15:12

Não devia ser assim. E ainda dizem que temos que ter cuidado com a saúde :) Ah pois só os magros é que têm direito --'


Eu também sou a mais pequena lá de casa :) Todos passam por mim. Até a minha sobrinha de 14 anos já está mais alta que eu :) Felizmente gosto da minha altura D:

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Mais sobre mim

foto do autor








Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.