Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


E se um desconhecido...

por Magda L Pais, em 11.09.15

na-cama-com-um-homem-que-acabou-de-conhecer-pela-i

quiser marcar um encontro consigo? O que fazer?

O principal conselho é... Não aparecer. Vamos lá a ver, situações como esta nem sempre acabam tão bem. Neste caso o desconhecido era apenas um amigo que quis mostrar os riscos de se marcar encontros com desconhecidos. Mas podia não ser.

Mesmo com centenas de avisos, mesmo sabendo de casos semelhantes, mesmo com alertas... mulheres, homens e jovens continuam a cair no mesmo disparate e a marcar encontros com desconhecidos.

Creiam-me, muitas vezes os desconhecidos não vos querem oferecer flores. Mesmo que usem Impulse (ainda existe?).

Não quero, com isto, dizer que não se podem conhecer pessoas simpáticas e interessantes pelo Tinder, Facebook, na internet, em suma. Aliás, como o poderia fazer se eu conheci o meu marido pela internet, já lá vão 17 anos?

O que digo é que se tem de ter cuidado. Muito cuidado. 

E esse cuidado começa por não se dar dados pessoais: nome, morada, local de trabalho, etc e tal.

Mas não só.

Antes do encontro tentem falar com a pessoa por vídeo. Ficam com ideia da cara e do aspecto da pessoa. Lembrem-se que qualquer um pode usar a foto que quiser, fotos não são fiáveis na internet. 

Depois, a haver encontro, que seja num local bastante movimentado onde não haja risco de ficarem sozinhos. Não acedam a sair do local onde marcaram o encontro, mesmo que a pessoa com quem se vão encontrar vos convide a ir ao café ao lado.

Contem sobre o encontro a quem confiarem. E dêem os dados que tiverem da pessoa com quem se vão encontrar. Pode parecer idiota mas, se vos acontecer alguma coisa, será importante saber com quem se vão encontrar.

Também é importante que vá alguém convosco. Alguém de confiança. Não precisa de se sentar na mesma mesa nem precisam de dizer que estão acompanhados. Mas precisam de alguém que vos ajude em caso de necessidade, alguém que vos esteja a ver e que possa intervir se for caso disso.

Não aceitem bebidas não enlatadas ou engarrafadas. Se for preciso ir buscar as bebidas, deixem-se de frescuras e vão vocês buscar as vossas próprias bebidas. Bebidas a copo permitem que sejam colocadas drogas. E o mesmo se passa com a comida. Nunca bebam ou comam o que já estiver na mesa quando chegam e não deixem a comida/bebida sozinha com a pessoa com quem se foram encontrar.

Admito que todos estes conselhos possam ser exagerados, aceito que sim, mas sempre ouvi dizer que o seguro morreu de velho. E é à velhice que querem chegar, certo?  

Autoria e outros dados (tags, etc)


25 comentários

Imagem de perfil

De Receitas fáceis rápidas e saborosas a 11.09.2015 às 14:40

Olá não acho nada exagerados os teus conselhos no mundo e que vivemos. 
Gostei muito.
Ana
http://receitasfaceisrapidasesaborosas.pt/




Imagem de perfil

De Magda L Pais a 11.09.2015 às 21:53

Obrigado Ana! Cautelas e caldos de galinha nunca fizeram mal, não é?
Imagem de perfil

De Mula a 11.09.2015 às 17:22

Todo o cuidado é pouco, realmente. Eu também conheci o meu namorado pela internet, há 13 anos atrás... E como ele, conheci muitas outras pessoas, mas fui sempre com amigos. E a verdade é que nunca os conheci pessoalmente, mas virtualmente já conheci muitos tarados, tive foi sempre a sorte de os saber diferenciar, mas confesso que isto da internet faz-me temer muito, quando tiver filhos, porque parece que há sempre coisas que escapam aos pais, e assusta-me a ideia de não os conseguir proteger... A internet tem tanto de bom como de mau... Image
Imagem de perfil

De Magda L Pais a 11.09.2015 às 21:55

Um dos grandes conselhos que te posso dar, enquanto mãe, é que nunca escondas, dos teus filhos, os riscos que eles correm. Os meus filhos usam a internet desde cedo mas foram sempre avisados que há riscos e o que lhes pode acontecer se não tiverem cuidado. Nunca lhes escondi nada
Imagem de perfil

De Mula a 11.09.2015 às 23:19

O problema é que eu acho que eles preferem fazer as coisas por sua própria conta e risco em vez de ouvirem os pais... eu pelo menos era assim, quando era miúda ... 
Imagem de perfil

De Magda L Pais a 12.09.2015 às 09:46

eu também pensava assim. Mas depois ensinei os meus filhos, desde cedo, que as acções tem consequências. E que as regras são para cumprir. Claro que, em simultâneo, dou-lhes espaço para cometerem erros. Mas não erros que ponham em risco a saúde e/ou segurança física deles. Fui, desde cedo, clara com eles. Há pessoas na internet que vos querem matar e violar. Se quiserem que isso vos aconteça, é simples, é só não cumprirem as regras. Se não quiserem que isso aconteça... também é simples, é terem cuidado
Imagem de perfil

De BataeBatom a 11.09.2015 às 19:09

Nem mais, Magda! Digno de destaque. Parece muito simples e do conhecimento de todos, mas a verdade é que a ilusão tolda o pensamento a muitos.
Imagem de perfil

De Magda L Pais a 11.09.2015 às 21:56

oh BB, obrigado! muito muito obrigado! Até pela partilha no facebook. São cuidados que deviam ser básicos mas há tanta gente que se esquece deles
Imagem de perfil

De M* a 11.09.2015 às 22:53

excelentes dicas :) 
Imagem de perfil

De Magda L Pais a 12.09.2015 às 09:46

Obrigado M*
Imagem de perfil

De Andy Bloig a 11.09.2015 às 23:42

Começa mesmo por escolherem o sítio... agora é costume escolherem uma discoteca ou um bar ou um centro comercial. Parece um local concorrido mas, rapidamente se chateiam e vão para outro lado qualquer. 
As raparigas acabam por se tornar alvos demasiado fáceis quando lhes aparece um rapaz bem parecido e que tenha carro. Na primeira ideia dele a levar de carro, ela aceita sem pensar. (isto deve ter um nome qualquer... porque é algo que acontece à maioria das raparigas até aos 25-26 anos, com maior incidência nas mais novas que isso.)
É muito mais simples marcarem os encontros num parque, jardim ou local abrangente (tanto para rapazes como para raparigas) e não aceitem logo o 1 sítio que vos digam. Tentem dar a volta para serem vocês a marcar o local, de forma a ser um sítio que já conheçam. 
Agora há muita gente em aulas de fitness, zumba e atletismo que vão a parques e jardins locais. Muitas vezes, esse jardim é o melhor local para conhecer alguém pela primeira vez. É um espaço que conhecem e onde já foram avistadas pelas pessoas que é costume lá passarem. Se algo estranho acontecer, é mais simples pedirem ajuda a alguém que já viram (mesmo sem saberem quem é) do que a alguém que não sabem quem é.


E cuidado com as geo-localizações. Há demasiada gente a usar esses sistemas para se irem encontrar "e não se perderem". Se não conhecem a pessoa, já com algum conhecimento de causa, NUNCA usar a geo-localização do telemóvel. Não sabem quem está do outro lado a seguir o vosso trajecto. Tal como não sabem que caminho estão a seguir, se vão para um sítio que não conhecem. Isso é engraçado para pessoas que se conhecem muito bem, agora para encontros de conhecidos, é a última coisa que devem usar.  Pior que isso, muitas aplicações dão para guardar os dados de quem se deixa localizar e outra pessoa pode ficar com eles, sem saberem. Quando activam o sistema, a outra pessoa também recebe os dados... 
Imagem de perfil

De Magda L Pais a 12.09.2015 às 09:48

Boas dicas a complementar, obrigado Andy. De facto muita gente cai na esparrela precisamente pelo bom aspecto do outro. Esquecem-se que, quem vê caras, não vê corações. 
Imagem de perfil

De Andy Bloig a 12.09.2015 às 12:35

Esse é um dos problemas mais complicados e onde só o bom senso é que pode impedir certas situações. A imagem é demasiado chamativa... 


Com a geo-localização , há uns 2 anos (menos que isso) fui conhecer uma rapariga que conheci através de uma amiga no facebook . Eu não tenho smartphone, ela mandou-me o link de uma aplicação que ela usava que dava para saber o sítio onde ela estava naquela altura e quanto tempo iria demorar a chegar ao café onde tínhamos combinado. Depois do encontro (tínhamos visões diferentes sobre demasiadas coisas...), mais ou menos uma semana depois, usei a aplicação... ela não a tinha desligado. Resultado: tinha a morada dela, sítio onde trabalhava, locais onde tinha estado (havia um caminho que ela fazia diariamente a pé) e onde estava naquele momento. 
Qualquer pessoa mal intencionada , tinha ali informação para lhe fazer o que quisesse... Quando lhe telefonei a perguntar se ela se tinha esquecido, achou estranho, pois não sabia que aquilo ficava ligado... achava que só funcionava até ela ter fechado a aplicação. 


A maior parte das vezes é mesmo escolher um sítio conhecido (principalmente para as senhoras/raparigas) que oferece muito mais conhecimento sobre o local do que irem para cidades diferentes, sítios que não conhecem ou mesmo as saídas à noite. Se conhecerem a pessoa antes da saída, já tem ideia dos sítios por onde irão passar. Se forem para "a rua das discotecas", mesmo que conheçam o ambiente, não sabem ao que vão. São coisas simples que muita gente se esquece com demasiada facilidade. 
(e o Não é para ser usado sempre que seja assim a vontade da pessoa... não há cá pena ou "é só uma vez"... se acontece uma vez,  mais se vão seguir. Muitas raparigas tem medo de dizer Não, porque é amigo do amigo do amigo e tem medo de ficar mal com aquela pessoa... que só conhece o outro por um site da internet.) 
Imagem de perfil

De Magda L Pais a 13.09.2015 às 15:41

De facto, saber usar o não sempre que necessário é também bastante útil. não temos de ter medo de desagradar se estamos desagradados. Muitos jovens (de ambas as idades) esquecem-se disso. 
Quanto aos serviços de localização, são bastante perigosos sim. E se não tivermos cuidado, podem ser usados contra nós. 
E o sitio. o Sítio é fundamental. Temos de o conhecer bem, estar à vontade e ter pessoas conhecidas por perto. Só assim corre bem
Imagem de perfil

De Corvo a 12.09.2015 às 16:22

Apoio, subscrevo e aplaudo!
Para quem se julgo imune, é mais ou menos parecido com o tabaco. Perigoso para todos, mas a gente escapa.
BFS
Imagem de perfil

De Magda L Pais a 13.09.2015 às 15:42

Obrigado Corvo. São pequenos cuidados que podem salvar vidas. Esperemos que nunca sejam necessários mas, em sendo, podem fazer toda a diferença
Sem imagem de perfil

De Marta a 13.09.2015 às 13:57

Olá, estas dicas são realmente boas e muítssimo importantes, obrigada por deixares as pessoas mais informadas
Imagem de perfil

De Magda L Pais a 13.09.2015 às 15:42

Obrigado eu Marta!
Sem imagem de perfil

De Maria João a 14.09.2015 às 14:22

O que diz, é de fato repetido, mas nunca é de mais, pois mesmo com as repetições os nossos jovens e menos jovens e não digo todos, continuam a confiar na sua própria capacidade e nos desconhecidos só porque os "conheceram" pela net onde passam tantas horas e fizeram tantos likes nas publicações que lá puseram.  É uma pena e os seus conselhos deveriam ser todos, mais uma vez, levados a sério.
Imagem de perfil

De Magda L Pais a 14.09.2015 às 19:03

Obrigado Maria João
de facto há alguma ingenuidade quando se conhecem pessoas pela internet e depois as coisas correm mal e as pessoas nem se apercebem do que poderá ter causado os problemas
Imagem de perfil

De Just_Smile a 14.09.2015 às 17:26

Nisso sou como tu, estas coisas têm de ser feitas com muiiiiito cuidado, pois hoje em dia houve-se cada história...
Imagem de perfil

De Magda L Pais a 14.09.2015 às 19:05

E algumas das historias vê-se logo que vão dar asneiras
Imagem de perfil

De Miss F a 14.09.2015 às 23:47

Eu conheci o meu namorado num bar, por isso já lhe tinha visto a tromba (salvo seja) e ainda assim no primeiro encontro oficial fiz questão de ser eu a escolher o local (perto de minha casa, com muuuita gente sempre a passar), a minha mãe ia estar num sítio a 5min do encontro, a minha irmã e uma amiga sabiam onde eu ia, e ainda fiz questão de dizer ao moço 'por acaso um amigo meu trabalha aqui ao lado' só para o caso de ele se pôr com ideias ahahah


Sou como tu, segurança acima de tudo. Como dizem os britânicos - better safe than sorry!
Imagem de perfil

De Magda L Pais a 15.09.2015 às 09:09

e não perdeste namoro por causa da segurança! é isso que muita gente não pensa, acho eu. Devem achar que, se forem cuidadosas, vão ter menos valor...
Imagem de perfil

De Miss F a 16.09.2015 às 23:12

É verdade, passados 7 anos cá estamos O principal problema acho que é pensar que só acontece aos outros. Mas esquecem-se que nós somos os outros dos outros, coisas más podem acontecer a qualquer um!

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor








Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.