Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Problema ou solução?

por Magda L Pais, em 10.02.16

ProblemSolution.jpg

Diariamente somos confrontados com diversas situações que nos dividem em dois tipos de pessoas - as que fazem parte do problema e as que fazem parte da solução.

Quem faz parte do problema vê, em tudo, um novo problema. Fecha-se à solução, agarra-se ao negativismo, complica ainda mais o que pode ser simples.

Partilho convosco alguns exemplos:

O e-fatura e a necessidade de se confirmar algumas facturas. Para quem faz parte do problema é uma grande maçada porque agora somos nós que fazemos tudo, não faz sentido, porque tenho eu de ver as facturas, etc e tal.

O barco demora mais tempo que o normal a fazer a viagem entre Lisboa e Barreiro. Estou aqui fechado, não posso fazer nada, não vou chegar a horas, etc e tal.

Confesso, aqui em nota, que poderia dar mais exemplos mas não consigo. E não consigo porque, por ser Optimista nata, não consigo ir atrás dos problemas mas das soluções. Vejo, no e-fatura, uma excelente oportunidade de ter menos trabalho quando for preencher o modelo 3 do IRS. No atraso do barco, uma excelente oportunidade de ler mais tempo.

Um taxista que é meu amigo tem o filho numa escola especial, longe de casa. Todos os dias o ia levar à escola com o carro de serviço. Ia buscar e levar. A escola tinha transporte mas ele teria de pagar € 200,00 para usufruir desse serviço. Queixou-se disso durante uma das viagens que fizemos juntos. Veja lá, estou a perder serviços por ter de ir levar o miúdo à escola mas não posso pagar os € 200,00, é mais custos.

Fiz-lhe as contas. Se considerarmos que o mês tem 22 dias úteis, vai gastar, por dia, se contratar o transporte da escola, a quantia de € 9,50 (um pouco menos mas acertemos contas). Sendo ele a levar o miúdo à escola, são duas horas de serviço que perde por dia - uma hora de manhã e outra à tarde. Nessas duas horas, quantos serviços perde?

Concluímos que, por dia, não estava a receber a quantia de € 20/€ 25 para poder ir levar o miúdo à escola. Ou seja... para não gastar € 200,00 por mês estava a perder € 440,00.

Mudou de estratégia. Falou com o filho mais velho que já tem carta e disse-lhe que lhe dava os € 200,00 para ele levar o mais novo à escola e assim poder retornar o serviço.

Da vez seguinte que viajamos juntos voltou-se a queixar - veja lá que estou a gastar € 200,00 por mês para que o miúdo vá para a escola. Nem queria acreditar... então sim, gastava o dinheiro mas estava a fazer os serviços e o saldo era positivo. Pois que não, é um problema, porque estou a gastar € 200,00.

Foco no problema. Este - mais que o gasto - é o problema deste meu amigo. Fixou-se no problema, não na solução. É o problema dele e de tantos outros. Focam-se no problema e de tanto pensarem nos problemas não vêem que, muitas vezes, a solução está ali, mesmo à frente dos olhos.

E vocês? fazem parte dos problemas ou das soluções?

Autoria e outros dados (tags, etc)


21 comentários

Imagem de perfil

Kikas a 10.02.2016

Outrora já fui uma dessas que só via os problemas sem pensar nas soluções, apesar de ter sido sempre uma pessoa optimista. Hoje em dia o optimismo é o que me move, quando vejo um problema vejo sempre uma solução, ainda que por vezes dê mil voltas à cabeça. Não me consigo imaginar como sendo uma pessimista extremista, o optimismo é a minha maneira de encarar o mundo e a minha vida :) Belo texto ;)
Imagem de perfil

Magda L Pais a 10.02.2016

Obrigado !ser optimista é uma forma de vida. Ou melhor, é a forma de vida. E com isso conquista-se tudo o resto :D
Imagem de perfil

Kikas a 10.02.2016

É mesmo isso e é assim que temos que encarar a vida Image
Imagem de perfil

Magda L Pais a 10.02.2016

caso contrário apenas sobrevivemos, não vivemos
Imagem de perfil

Kikas a 10.02.2016

Sobreviver não, eu diria que é para os fracos mas acho uma expressão muito forte, é para quem não se atreve a viver!
Imagem de perfil

Ana Rita 🌼 a 10.02.2016

Eu quando vejo um problema sou "menina da mamã"...e ela como é a minha "ministra das finanças" juntas arranjamos sempre uma solução.
Imagem de perfil

Magda L Pais a 10.02.2016

está na altura de seres a tua própria ministra das finanças, certo?
Imagem de perfil

Ana Rita 🌼 a 10.02.2016

E sou... Mas gosto sempre de uma segunda opinião e duas cabeças pensam melhor que uma... E normalmente consigo sempre resolver. 
Sim pk eu tenho um tio patinhas em casa e uma ministra das finanças como mãe... Isto de dinheiros anda sempre tudo controladinho. 😁 ainda bem que os blogs são grátis 
Imagem de perfil

Magda L Pais a 11.02.2016

ahahahahaha gostei das analogias ;D
Imagem de perfil

Carla a 10.02.2016

Soluções. Procuro sempre a solução. Pode até nem resultar, mas é sempre melhor que ficar parada a pensar no problema.
Imagem de perfil

Magda L Pais a 10.02.2016

mais tentar do que não o fazer. E, como diz o meu gaiato, se não tentarmos não conseguimos mesmo
Imagem de perfil

A Caracol a 10.02.2016

Solução, sempre. Rebentou um pneu? Antes isso que o radiador. Está trânsito? Há boa música para poder usufruir. E assim sucessivamente. Sou otimista, tento ver sempre o copo meio cheio, mesmo quando está furado e teima ir perdendo água. ImageImage
Imagem de perfil

Magda L Pais a 10.02.2016

somos duas! foco na solução e optimismo a rodos!
Imagem de perfil

Just_Smile a 10.02.2016

Prefiro fazer parte da solução. Admito que quando surge um problema, na hora sou capaz de praguejar e ver as coisas más, mas passada meia hora assento a cabeça e encontro a solução. Sou prática, odeio andar a queixar-me da mesma coisa imenso tempo (o que ultimamente acontece com o desemprego), prefiro arranjar uma solução e acabar com o dilema :)
Imagem de perfil

Magda L Pais a 10.02.2016

uma coisa é pensarmos nas coisas por momentos. outra  é passarmos a vida a ruminar nos problemas e não vermos as soluções - que, imensas vezes, estão mesmo à nossa frente
Imagem de perfil

Just_Smile a 10.02.2016

Sim, é verdade, não tenho paciência para pensar sempre no mesmo... assim não se sai do sítio...
Imagem de perfil

Varufakis a 12.02.2016

Tentar sempre fazer parte da solução, ainda que durante a busca da dita solução surjam alguns problemas.
A capacidade mental de tentar olhar para as coisas e sentir que podem ser feitas de forma diferente não está ao alcance do comum mortal, é um processo de aprendizagem às vezes muito lento.
Não é à toa que a nossa banda sonora é o Fado, nós somos um povo que gosta de carpir!


Com tantas lamentações nem sei como é que não moramos em Jerusalém ou ainda não construímos um Muro!
Imagem de perfil

Magda L Pais a 14.02.2016

ahahahahahah sim, bem que podíamos ter um muro das lamentações :p

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor








Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.