Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Quatro Patas

por Magda L Pais, em 07.11.18

É raro, raríssimo (nem sei se alguma vez aconteceu), haver um dia em que não apareça uma publicação nova no facebook dando conta de mais um cão abandonado ou violentado. 

É o cão que foi entregue no canil com 10 anos de idade porque compraram um novo (sim, era um cão de compra, de raça pincher) ou o cão que foi preso por uma corda à vedação. Ou o outro que foi atirado por cima do muro e que acabou morto, ou o que foi atado a um carro em andamento (e que também morreu). Ou a cadela grávida que foi cortada viva para lhe tirar os cachorros. Podia continuar com os exemplos mas acho que já perceberam a ideia.

E podem substituir os cães pelos gatos que o problema é o mesmo.

Isto faz-me tanta confusão que nem imaginam. Não é doar os animais a alguém que tenha mais ou melhores condições (até porque a minha Saphira veio para nossa casa porque  a colocaram para doação no OLX) - isto eu até entendo e não critico. Muitas vezes quem o faz não tem mesmo outra solução e não está exactamente a entregar o animal para abate ou a abandona-lo à sua sorte.

É exactamente isto - abandonar o animal - que me faz confusão. 

Conhecem os meus patudos não conhecem? A Bunny, a Saphira e o Fluffy? Não, são estes:

41046559_10156746919689636_728052920095866880_n.jp

E já vos contei que nos vamos ver livres da nossa filha em Janeiro já que ela vai estudar para a De Monfort University em Leicester.

Que é que uma coisa tem a ver com a outra?

Bem... é que nós vamos com ela, depois do Natal, até Leicester - Inglaterra - e por isso os patudos vão ter de ir passar uns dias no canil. Vão ficar num que já conhecemos, onde já ficaram noutras férias e no qual temos absoluta confiança.

Ainda assim...

Numa noite passada tive insónias. E só me lembrava que os patudos vão estar num canil em pleno inverno, com frio e chuva. É óbvio que não vão estar à chuva e ao frio, o canil tem uma boa parte interior mas não vão ficar em casa no quentinho. Não calculam o quanto me está a custar esta situação, apesar de saber que vão ser bem tratados, que nós temos mesmo de ir com a gaiata (nem outra hipótese se coloca) e que são apenas uns dias.

Posto isto... Como é que alguém consegue ter um animal em casa, tratar dele, ser amado por ele, vê-lo crescer e depois deixa-lo abandonado à sua sorte ou violenta-lo até à morte?

Que raio de gente é essa? (ou perguntando de outra forma: serão mesmo gente?)

May we meet again

 Que esperam para me acompanhar no facebook e no instagram?

Conhecem o meu blog sobre livros?

Autoria e outros dados (tags, etc)


4 comentários

Imagem de perfil

De Partilhar, partilhando.. a 08.11.2018 às 19:18

Gente sem um pingo de sentimentos é o que mais existe infelizmente.
Imagem de perfil

De Alexandra a 22.11.2018 às 15:06

É por esse tipo de situações que digo sem reservas que há animais que valem muito mais do que algumas pessoas. Há quem fique chocado, pense que qualquer humano vale mais, para mim não. Esse tipo de gente não vale nada.
Sem imagem de perfil

De Grace a 30.11.2018 às 17:25

Não são gente... São uns seres que habitam esta terra sem a merecerem...
Imagem de perfil

De Bipolar a 12.12.2018 às 03:09

Eis uma questão que se me coloca com frequência. Não faço ideia de qual a resposta.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor








Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.